domingo, 24 de novembro de 2013

Como ser Arrebatado?



Deus deu-nos um guia, a Bíblia, que indica o caminho que devemos seguir.

A Palavra de Deus diz que pela desobediência de um só homem (Adão, o primeiro homem), o homem tornou-se pecador por natureza, inimigo, rebelde a Deus, e por causa do pecado, os ímpios serão lançados no inferno.

Todavia Deus é extremamente amoroso e não tem prazer na morte do ímpio, mas em que o ímpio se converta do seu caminho, e viva. Deus providenciou um meio de salvar o pecador, pela obediência de um (JESUS) muitos serão feitos justos e salvos.

Jesus Cristo, o Filho Unigênito de Deus, substituiu o pecador, recebendo sobre Si todo o juízo de Deus. Embora nunca houvesse pecado, Ele Se ofereceu como culpado, levando sobre Si todos os pecados dos que nEle crêem e sofrendo a morte no lugar do pecador. Seu sacrifício foi aceito por Deus, que O ressuscitou ao terceiro dia.

Portanto, o caminho não é religião, caridade ou alguma filosofia. Há muitos que acreditam que todos os caminhos levam a Deus, porém tal pensamento é falso. Há um só caminho que leva a Deus: JESUS CRISTO. 

E você, querido leitor, já sabe qual o seu destino? Existe um destino de paz e alegria para aqueles que estão em Jesus Cristo. Creia no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo!

Na terra - após o Arrebatamento



As Coisas Depois Destas

Tão logo o Espírito Santo "do meio seja tirado" (2 Ts 2:6-7) na vinda do Senhor (no arrebatamento), a corrupção e a violência se estabelecerão rapidamente. [Ver nota] Atualmente o Espírito de Deus está na terra refreando as paixões dos homens em alguma medida, mas então a moral será desprezada a níveis assustadores. A vida na terra se assemelhará moralmente aos dias de Noé e Ló (Lc 17:26-29). "E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará" (Mt 24:12).

[Nota: O povo de Deus é sal e luz neste mundo. Quando o sal (que antes da invenção do refrigerador era utilizado como conservante) for removido, a corrupção se estabelecerá. Quando a luz for embora, as trevas predominarão (Mt 5:13-16).]

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.

Fonte: http://acontecimentosprofeticos.blogspot.com.br/2012/02/as-coisas-depois-destas.html

No Céu - As Bodas do Cordeiro



As Bodas do Cordeiro

As bodas do Cordeiro (Cristo) acontecerão no céu. A esposa é a Igreja. Os convidados para o banquete do casamento serão os amigos do Noivo (Jo 3:29), os santos do Antigo Testamento. Ap 19:6-10.

É difícil determinar com exatidão em que momento isso ocorrerá. Deverá acontecer em algum momento após o tribunal de Cristo e antes da vinda de Cristo no final do período de 7 anos de tribulação.

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.

No Céu - Sete Coroas



Sete Coroas

Todos receberão uma recompensa. Cada um receberá de Deus o louvor" (1 Co 4:5; Mt 25:21-23). Talvez existam sete coroas que serão dadas como recompensa. A "coroa incorruptível" (1 Co 9:25), a "coroa de exultação" (1 Ts 2:19 - ARA), a "coroa da justiça" (2 Tm 4:8), a "coroa da vida" (Tg 1:12; Ap 2:10), a "coroa da glória" (1 Pd 5:4), a "coroa de ouro (Ap 4:4) e a coroa dada aos "vencedores" (Ap 3:11-12).

Todos os santos celestiais (representados na figura dos 24 anciãos) tomarão os seus lugares em tronos ao redor do Senhor no céu. Enquanto olham para o Senhor em toda a Sua glória como Criador e Redentor, lançarão suas coroas e a si próprios aos Seus pés em adoração e louvor (Ap 4-5).

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.

No Céu - Razões para o Tribunal de Cristo



Tres Razoes Principais para o Tribunal de Cristo

Talvez existam três razões para o tribunal de Cristo. Primeira, para magnificar a graça de Deus em atender a necessidade dos crentes. Quando o Senhor revisar suas vidas e trouxer à luz seus pecados e fracassos, Ele lhes mostrará quão grande foi a dívida que eles realmente tinham para com Deus. Naquele dia os santos entenderão a completa maldade de sua carne e aprenderão quão grande foi a graça que a tudo sobrepujou."onde o pecado abundou, superabundou a graça" (Rm 5:20).

Segunda, para revelar a perfeita sabedoria de Deus em todos os Seus desígnios para com o Seu povo. O Senhor irá, por assim dizer, colocar o seu braço no ombro de cada crente e caminhar por sua vida passo a passo. Isso revelará a história da paciente graça, perfeita sabedoria e ilimitado amor do Senhor que acompanhou cada crente ao longo de toda a sua vida. Todas as perguntas difíceis que os crentes tinham sobre determinadas coisas que lhes aconteceram serão respondidas. O Senhor mostrará a cada um a razão dos problemas e dificuldades que tiveram de passar. No final todos dirão: "O caminho de Deus é perfeito" (Sl 18:30).

Terceira, para designar as recompensas ou galardões dos santos e o lugar que consequentemente irão ocupar no reino (Lc 19:16-19).

As ações do crente (2 Co 5:10), seu serviço prestado ao Senhor (1 Co 3:9-15), seus motivos (1 Co 4:4-5; Rm 2:15,16), suas palavras (Mt 12:36,37), e seu exercício pessoal (Rm 14:1-12) -- tudo será repassado e revisto diante do santo olho do Senhor Jesus Cristo. Tudo na vida do crente será manifestado naquele dia, tanto o que praticou antes, como depois de sua conversão, pois as Escrituras dizem: "Segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal" (2 Co 5:10). [Ver nota]

[Nota: Alguns poderão perguntar por que seria necessário manifestar as coisas que os crentes fizeram antes de terem sido salvos, mas as Escrituras mostram claramente que se trata do que "tiver feito por meio do corpo", e não das ações praticadas após a conversão (2 Co 5:10). Todos nós já tínhamos um corpo antes de sermos convertidos. Nessa ocasião os santos estarão glorificados e não serão contaminados quando tais coisas forem reveladas. Uma das razões pelas quais o Senhor nos irá mostrar tudo o que ocorreu em nossa vida, tanto antes como depois da conversão, é para nos mostrar quão grande era nossa dívida. Ele magnificará Sua graça que nos atendeu em todas as nossas necessidades. Além disso, a fim de demonstrar a nós a razão de ter permitido provas e dificuldades em nossa vida, será necessário voltar e repassar nossos dias antes da conversão para nos dar uma imagem clara do que nós realmente éramos e o que foi que Ele tirou de nós. Algumas das disciplinas pelas quais passamos como cristãos são resultado da forma como Deus nos tratou para nos livrar dessas características que carregávamos desde os dias da incredulidade. Em meio ao registro das falhas do crente (e certamente todos nós falhamos), Ele encontrará motivos para recompensar o Seu povo pelas coisas que fizeram para a glória do Seu nome. Só de Ele encontrar motivos para recompensar os Seus santos será suficiente para fazer com que seus corações transbordem com a percepção do Seu amor e graça, de uma maneira que não poderia ocorrer se tudo não fosse revelado. Isso resultará nas mais altas e vibrantes notas de louvor "Àquele que nos amou, e em Seu sangue nos lavou dos nossos pecados" (Ap 1:5-6).]

Quando eu estiver diante do trono presente,
Coberto de adornos que não conquistei;
Então ao Senhor conhecerei plenamente,
E saberei o quanto tenho e não sei.

Tudo o que acontecer no tribunal de Cristo será uma questão tratada entre cada santo e Deus. Aparentemente não será algo público aos olhos de outros. (Veja: "Exposition of Revelation", W. Scott, p. 381; "Sun of Righteousness", E. Dennett, p. 37; "Scripture Truth", Vol. 1, p. 318; "Bible Treasury", Vol. 1, p. 243; "Collected Writings of J. N. Darby, Vol. 13, p. 359)

As coisas que os santos fizeram durante a vida que não estiverem de acordo com a aprovação do Senhor serão queimadas e eles não receberão recompensa por elas (1 Co 3:14-15).

Os resultados do tribunal de Cristo irão estimular o eterno louvor dos santos de Deus (Ap 19:7).

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.

No Céu - O Tribunal de Cristo



O Tribunal de Cristo

O tribunal de Cristo será estabelecido no céu, onde o Senhor Jesus se assentará como Juiz para rever a vida de cada crente. A ordem da sessão será: revisão, recompensa e regozijo. Existem dois tipos de juiz neste mundo. Cristo executará juízo no caráter de ambos.

Um é o juiz que atua em um caráter penal, investido de autoridade para lavrar a sentença em juízo sobre um réu culpado. Um exemplo é o juiz que atua nas cortes judiciais de um país. O crente nunca se encontrará diante de Cristo neste caráter de Juiz (Jo 5:24; Rm 8:1). O julgamento que Cristo fará do crente não será o julgamento de seus pecados. Não são os pecados do crente que estão em questão no Tribunal de Cristo; isto já foi resolvido de uma vez por todas pela fé na completa obra de Cristo na cruz. O conhecimento disto dá ao crente uma grande confiança em relação ao dia do juízo (1 Jo 4:17). Ele pode descansar na plena confiança e certeza na Palavra de Deus que lhe diz que "não entrará em condenação" (Jo 5:24; Rm 8:1).

O outro tipo de juiz é o que atua como um árbitro, tendo conhecimento suficiente para decidir o mérito de um determinado assunto, por exemplo, um juiz de um concurso ou exposição de arte. Este tipo de juiz avalia a qualidade e beleza de uma determinada obra em exposição. É neste segundo caráter que Cristo é visto como Juiz para com os crentes. Deus mantém livros ou registros. Quando uma pessoa é salva, o Senhor encerra a coluna de débitos da contabilidade dessa pessoa e abre a coluna de créditos. A partir daquele momento tudo na vida do crente que for feito para Cristo será lançado para um futuro galardão ou recompensa. Cada crente será recompensado por sua fidelidade em vida depois de ter sido salvo. O Tribunal de Cristo ocorre quando são entregues essas recompensas.

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.

No Céu - Depois Destas Coisas



Depois Destas Coisas - No Céu

Na vinda do Senhor, todos os que não conhecem o Senhor Jesus Cristo como Salvador -- todos aqueles cujos pecados não foram lavados pelo poder purificador de Seu sangue -- serão deixados para trás na terra para passarem pela tribulação (Mt 25:10-12; Ap 3:10).

O Evangelho da graça de Deus (At 20:24) que promete justificação pela fé em Cristo, e o céu como lar eterno para todos os que creem, já não será mais pregado. Aqueles que conscientemente rejeitaram esta "grande salvação" nunca mais terão outra oportunidade de serem salvos. Isto é muito solene (Hb 2:3; At 13:38-41).

O Senhor guiará os Seus santos, que Ele arrebatou, até a "casa do Pai" nas alturas (Jo 14:2,3; Hb 2:13).

Após haver levado o Seu povo para a "casa do Pai" nas alturas, o Senhor os assentará à Sua mesa e os servirá de alegria celestial e gozo indescritível (Lc 12:37).

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.

O Arrebatamento - O Espirito Santo no arrebatamento



O Espirito Santo no arrebatamento

O Espírito de Deus, na forma como age atualmente, também será tirado da terra (2 Ts 2:6-7). Hoje Ele habita na Igreja que está na terra -- a Igreja é Sua habitação. O Senhor prometeu que, uma vez que tivesse vindo para habitar na igreja, o Espírito jamais a deixaria (At 2:1-4; 1 Co 12:13; Jo 14:16). Quando a Igreja for chamada para a glória, o Espírito Santo sairá deste mundo para nunca mais vir aqui habitar. Isto não significa que o Espírito deixará de trabalhar sobre a terra, porém daquela hora em diante Ele fará Sua obra neste mundo a partir de Seu lugar no céu, como fazia antes do Pentecostes (na época do Antigo Testamento). Ele continuará a operar em uma diversidade de ações (Ap 1:4), como na vivificação das almas, etc. [ver nota]

[Nota: Alguns poderiam perguntar: "Como podemos saber quando o Espírito será tirado?" Cremos que as passagens a seguir deixam claro que isso acontecerá por ocasião do arrebatamento (Jo 14:16, 17). Na noite em que foi traído, o Senhor prometeu a Seus discípulos que quando o Espírito de Deus viesse para fazer morada na Igreja (Atos 2), isto seria para sempre. Quando a Igreja for chamada para fora deste mundo no arrebatamento, o Espírito de Deus irá junto, pois o Senhor disse que Ele (o Espírito) nunca os deixaria. Isto também é encontrado no livro de Apocalipse. Nos primeiros três capítulos, quando a Igreja é vista como estando na terra, o Espírito é encontrado falando constantemente à Igreja. Mas depois do capítulo 4:1-2, quando a Igreja aparece como sendo tirada do mundo, o Espírito não é mais mencionado até os capítulos 14:13 e 22:17, os quais se passam após a tribulação. Compare também os capítulos 2:7, 11, 17, 29; 3:6, 13, 22 com o capítulo 13:9. Repare na ausência notória de alguma menção ao Espírito. Isto é visto também tipificado em Gênesis 24, onde é procurada uma noiva (a Igreja) para Isaque (Cristo) pelo servo (o Espírito de Deus). Assim que a noiva foi assegurada pelo servo, ele a levou ao longo de todo o caminho de volta à casa, a Isaque, que estava aguardando por ela. Assim como o servo voltou para casa com a noiva, também o Espírito Santo voltará para o Lar com a Igreja quando o Senhor vier. Estas passagens demonstram que quando a igreja for chamada para fora deste mundo, o Espírito não irá mais residir na terra.]

A partir dessa ocasião, o Noivo (Cristo), a Noiva (a Igreja), e os amigos do Noivo (os santos do Antigo Testamento, etc.) estarão juntos para sempre (1 Ts 4:17; Hb 11:40).

Eu e Ele, em radiante glória,
Iremos profundo gozo desfrutar;
Meu gozo será estar com Ele pra sempre,
E o dEle, de ter-me no Seu Lar.

A Igreja não passará pela tribulação. Ela será levada para a glória na vinda do Senhor no arrebatamento. "Eu te guardarei da hora da tentação (tribulação) que há de vir sobre todo o mundo" (Ap 3:10).

Tudo isso acontecerá "num momento, num piscar de olhos" (1 Co 15:51-56).

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.

O Arrebatamento - Corpos transformados



Arrebatamento - Como os santos serão transformados no arrebatamento

Os corpos dos santos "arrebatados" para encontrar o Senhor nos ares passarão por uma tremenda mudança física. Não se trata de receberem novos corpos, mas corpos "transformados" (1 Co 15:51, 52; Fp 3:21; Jó 14:14). Seus corpos serão glorificados como aconteceu com o corpo do Senhor Jesus Cristo quando apareceu para Seus discípulos em ressurreição (Rm 8:17,28-30; Fp 3:21; Lc 24:39). [ver nota]

[Nota: Não conhecemos qualquer versículo bíblico que diga que os santos receberão novos corpos. Dizer que os santos receberiam corpos novos seria negar a ressurreição! Os mesmos corpos com que os santos viveram enquanto estavam na terra serão ressuscitados. Todavia, eles não são ressuscitados nas mesmas condições em que viveram antes de morrerem, mas serão ressuscitados incorruptíveis. Terão corpos glorificados. Os santos que estiverem vivos na terra por ocasião do arrebatamento também terão seus corpos transformados.]

Os santos arrebatados experimentarão, além de uma mudança física, uma permanente semelhança moral com Cristo. Essa obra moral nos santos, que é efetuada pelo trabalho silencioso do Espírito de Deus, já teve início enquanto ainda se encontram neste mundo, mas então ela se completará. (Rm 8:28-30; 2 Co 3:18). Todos eles serão fisicamente semelhantes a Cristo (Fp 3:21) e também moralmente (1 Jo 3:2) para todo o sempre.

A natureza pecadora arruinada será erradicada dos santos arrebatados. Eles nunca mais pecarão. (Hb 11:40; 12:23 - "aperfeiçoados" diz respeito à pessoa na sua totalidade: corpo, alma e espírito; Nm 24:20 - "Amaleque" tipifica a carne, a natureza caída e pecaminosa).

As crianças sem idade suficiente para serem consideradas responsáveis por seus pecados, cujos pais (ou mesmo um deles) são redimidos, subirão também para encontrar o Senhor nos ares. (1 Co 7:14 - "santos"). Os pais incrédulos e seus filhos serão deixados para trás para entrarem na tribulação. À medida que essas crianças forem crescendo durante a tribulação, elas terão oportunidade de ouvir e crer no Evangelho do Reino, o qual será pregado nessa época. [veja nota]

[Nota: O Evangelho do Reino não deve ser confundido com o Evangelho da graça de Deus (Atos 20:34), que os cristãos estão pregando hoje. O Evangelho da graça de Deus promete a justificação pela fé em Cristo e um lar com Ele eternamente no céu. O Evangelho do Reino declara as boas novas da vinda do Rei que irá estabelecer o Seu Reino na terra em poder. Aqueles que crerem no Evangelho do Reino e escaparem do martírio durante a tribulação, entrarão no reino para desfrutar de suas bênçãos na terra. Trata-se do mesmo evangelho pregado antes do dia de Pentecostes por João Batista (Mt 3:1-2), pelo Senhor Jesus Cristo, o Rei (Mt 4:17), e por Seus discípulos (Mt 10:7).]

Se alguma criança for morta durante os sete anos de tribulação, sua alma estará a salvo com Cristo no céu (Mt 18:10,11). De qualquer modo a morte seria para ela um ato de misericórdia, pois se fosse deixada para crescer e atingir a idade adulta separada da operação da graça de Deus, iria se tornar como seus pais incrédulos, rejeitando o evangelho e sendo levada a juízo. Ao contrário do que alguns pensam, o mundo não ficará esvaziado de crianças no arrebatamento. C. H. Brown costumava dizer que "Deus não assaltará o berço do incrédulo no arrebatamento". Deus deixa a família do incrédulo intacta. [veja nota]

[Nota: As figuras que encontramos no Antigo Testamento do juízo do mundo também indicam o mesmo. Ao contrário do que aconteceu com Noé e sua família, por ocasião do dilúvio, os filhos dos incrédulos não foram tirados do mundo antes que chegasse o dilúvio. Ao contrário do que aconteceu com Ló e sua família, os incrédulos e suas famílias não foram tirados de Sodoma e Gomorra antes que fogo e enxofre queimassem aquelas cidades.]

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.

O Arrebatamento 2



O Arrebatamento 2

Quando o Senhor Jesus vier, Ele "descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus" (1 Ts 4:15-18). Trata-se do que os cristãos chamam de "arrebatamento".

O "alarido", ou brado, é para acordar os que "morreram em Cristo". Estes são os santos que dormem, uma classe especial de crentes redimidos durante o período em que a igreja esteve na terra. Mesmo que a morte tenha requisitado seus corpos, a referência a eles é feita como já estando "em Cristo". O apóstolo Paulo usa a expressão "em Cristo" para indicar o lugar individual de aceitação que os cristãos têm diante de Deus na nova criação e o vínculo inseparável que desfrutam pela habitação do Espírito Santo. Estar "em Cristo" significa estar no lugar que Cristo ocupa diante de Deus. A mesma posição que Cristo agora ocupa diante de Deus é o lugar que pertence ao cristão. Não é dito que os santos do Antigo Testamento estejam "em Cristo", embora suas almas e espíritos estejam a salvo com Ele no céu. Na vinda do Senhor os "mortos em Cristo" ressuscitarão de suas sepulturas para se encontrarem com o Senhor nos ares. Esta é a primeira ressurreição. [ver nota]

[Nota: Nem todos os mortos ressuscitarão ao mesmo tempo. Há duas ressurreições (Jo 5:29; At 24:15). A "primeira ressurreição" (Ap 20:4-5), chamada de "ressurreição da vida" (Jo 5:29) e "ressurreição dos justos" (Lc 14:14) é uma ressurreição apenas dos justos. Trata-se de uma ressurreição "dentre os mortos" ('de entre os mortos') (Mt 17:9; Fp 3:11; Cl 1:18), por ser seletiva, quando os justos são tirados de entre os injustos. A primeira ressurreição ocorre em três fases: na primeira fase, "Cristo as primícias" (1 Co 15:23; Mt 28:1-8), na segunda fase "os que são de Cristo, na Sua vinda" (1 Co 15:23; 1 Ts 4:15-18), que é a fase mencionada no parágrafo acima, e a fase final da primeira ressurreição, que terá lugar no fim dos sete anos de tribulação (Ap 20:4). Esta envolve aqueles que se voltarem a Deus durante o período da tribulação e forem martirizados (Ap 6:9-11; 15:2). Aqueles que participam da "primeira ressurreição" desfrutarão de uma porção celestial com Cristo e reinarão com Ele sobre a terra (Ap 5:9-10). A segunda ressurreição, chamada de "ressurreição dos... injustos" (At 24:15), é uma ressurreição dos ímpios que tiverem morrido em seus pecados. Eles ressuscitarão após o reino de mil anos de Cristo, conhecido como o Milênio (Ap 20:7, 11-15). Naquela ocasião eles estarão diante do "grande trono branco", e receberão sua sentença. Todos os que participarem desta segunda ressurreição, que inclui o restante dos mortos, serão lançados no lago de fogo para sempre.]

A "voz do arcanjo" é, aparentemente, a voz do próprio Senhor no poder do arcanjo. Sua voz aqui aparentemente referindo-se à ressurreição dos santos do Antigo Testamento, pois Ele apareceu com frequência ao Seu povo naquela época como "o Anjo do Senhor". Ele agora os chama para fora de seus túmulos com a mesma voz que muitos deles conheceram. Eles ressuscitarão de suas sepulturas simultaneamente com os "que morreram em Cristo" e participarão da "primeira ressurreição" (Hb 11:40, 12:23 "aperfeiçoados").

A trombeta de Deus encerrará esta presente dispensação, quando todos os crentes que estiverem vivos sobre a terra no momento da vinda do Senhor no arrebatamento serão "arrebatados juntamente com eles", os santos do Antigo e do Novo Testamentos, os quais ressuscitarão e sairão de seus sepulcros para "encontrar o Senhor nos ares" e assim estarem para sempre com o Senhor. [ver nota]

[Nota: Não se deve confundir aqui a "trombeta de Deus" com a última das sete trombetas de Apocalipse 11:15-18, as quais serão tocadas 7 anos mais tarde, no final do período de tribulação, quando Cristo descerá outra vez do céu (no evento conhecido como "a vinda de Cristo") para tomar posse dos reinos deste mundo. Tampouco ela deve ser confundida com a trombeta soada em Mt 24:30-31 e Is 27:13, que diz respeito à reunião de Israel após a vinda de Cristo.]

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.

O Arrebatamento

Está para acontecer a qualquer momento, milhões de pessoas desaparecerão simultaneamente, inexplicavelmente, nos cemitérios sepulturas vazias, milhões de mortos também desaparecerão. O que aconteceu? Leia o texto abaixo e descubra a verdade.


(Uma carta aos deixados para trás)

Você deve estar se perguntando: "O que aconteceu? O que essas pessoas desaparecidas tinham em comum?" Provavelmente, a mídia deve estar apresentando diversas teorias, como abduções alienígenas, "segundo sol" ou supostos planetas que surgem do nada. Possivelmente estão recorrendo a antigas lendas e teorias esotéricas sobre a retirada dos humanos menos evoluídos espiritualmente do mundo para que o mundo entre em uma nova era de paz e prosperidade. Seja o que for, o que a mídia e o senso comum diz parece muito convincente, não é? Afinal, talvez você conhecesse vários que desapareceram que negavam que o homem precisava evoluir, e portanto também negavam as ideias de que seria necessário se esforçar por meio de religiões, rituais, meditações e toda sorte de misticismo. Talvez esses desaparecidos que você conhecia falavam que a salvação vinha de Deus por graça, que o Filho de Deus tinha vindo a mais de 2 mil anos atrás para morrer pelos seus pecados, e que depois ressuscitou e ascendeu ao céu. Provavelmente, esses mesmos confiavam em um livro que diziam ser a Palavra de Deus.

A Palavra de Deus diz que Jesus, que não está morto, mas vivo, voltaria para levar aqueles que creem nEle como Senhor e Salvador. "Ah!!", você deve estar pensando, "eu já conheço essa história. Acontece que ela não pode ser verdadeira, pois há relatos de muitos desaparecidos, inclusive que já estavam mortos, que foram pessoas muito más. Eles nunca iriam merecer ir para o Céu. Jesus nunca teria vindo buscá-los.". Porém, querido leitor, a Bíblia diz que Cristo veio justamente para salvar pecadores (Romanos 5.6-8, Lucas 5:31-32, 1 Timóteo 1.15). Além disso, também diz que não há um bom sequer, não há ninguém que faça o bem, e que todos os seres humanos nascem condenados, pois têm em si o pecado (Romanos 3.10-18; 7; 8.3). Não há nada que um homem, um pecador perdido, possa fazer para salvar a si próprio, ganhar a aceitação divina ou até mesmo se tornar um deus. Um afogado não pode salvar a si mesmo. Por isso, foi necessário que Alguém, sem pecado, morresse no lugar do pecador, levando todo o castigo que deveria cair sobre o homem, pois "o salário do pecado é a morte" (Romanos 6.23). No entanto, Aquele, o Senhor Jesus, que foi levantado naquela cruz, não permaneceu morto. Ele ressuscitou, levando embora todo o pecado daquele que nEle crê, de modo que Deus não vê mais pecado no crente em Jesus (Efésios 1.3-7, Romanos 6.6-7, 1 Coríntios 4.4).

Mas você pode ainda dizer: "Certo, mas eu conheço pessoas desaparecidas que não eram crentes...". Ninguém, além de Deus, pode dizer se uma pessoa realmente cria na morte e ressurreição de Jesus Cristo. "O Senhor conhece os que são seus" (2 Timóteo 2:19). Aquela pessoa desaparecida que talvez você nunca tenha visto indo à alguma igreja ou religião cristã deve ter, em algum momento de sua vida, crido no Senhor Jesus como seu salvador. Do mesmo modo, você pode estar indagando: "Mas muitos que frequentavam a igreja toda semana, que se empenhavam nas atividades da igreja e que eram muito religiosos ainda continuam aqui." Exatamente!! O próprio Jesus previu que isso aconteceria. Ele disse que o joio estaria no meio do trigo, e que as aves se aninhariam nos ramos de uma grande árvore (Mateus 13.24-32, Apocalipse 18.2). Assim também, em meio àqueles que professam serem cristãos, há muitos que não o são verdadeiramente. Os apóstolos diziam, em suas epístolas, que haveria apostasia (1 Timóteo 4.1, 2 Tessalonicenses 2.3). Eles nunca creram no Senhor, nunca se entregaram a Ele. Por isso ainda estão por aí.

"Tudo isso é mentira, pois eu aprendi na igreja que Jesus voltaria e que todo o olho o veria. Se ele realmente já voltou, por que ninguém viu, e por que ainda estou aqui?" Sim, a Bíblia diz que todo o olho o verá (Apocalispse 1.7), mas creio que, além do fato de você nunca ter entregue sua vida a Jesus, você foi vítima de más doutrinas. A Bíblia fala de dois retornos de Jesus. No primeiro, Ele vem para os seus santos (João 14.2-3, 1 Tessalonicenses 1.10, 2 Tessalonicenses 2.1). No Novo Testamento, todos os crentes em Jesus são chamados de santos (Efésios 1.3-7, Filipenses 4.21-22). Neste evento, Ele não veio ainda para reinar sobre a Terra, mas Ele veio nos ares, onde nós, os crentes, nos encontramos com Ele (1 Tessalonicenses 4.17-18). A Bíblia também diz que isso aconteceria como num piscar de olhos (1 Coríntios 15.51-54). Na segunda vinda, que ainda está por vir, Ele virá com os seus santos em poder e grande glória, para libertar Israel, julgar as nações e, agora sim, reinar sobre a Terra (Judas 1.14, Zacarias 14, Mateus 24.30-31).

Agora que a igreja verdadeira foi arrebatada, muita coisa há de acontecer nos próximos 7 anos. Talvez você já esteja se deparando com algumas delas, como a reconstrução do templo de Jerusalém, a unificação da religião mundial, a divulgação do evangelho do reino entre os judeus, a proeminência de um líder religioso e um líder político aparentemente pacíficos e muitos outros sinais dos tempos. Se você está interessado em conhecer melhor o que se sucederá no futuro próximo, acesse os links abaixo (se eles ainda estiverem online):

http://manjarcelestial.blogspot.com.br/2012/12/profecia.html


sábado, 23 de novembro de 2013

Existe um proposito para minha vida?

Pense assim: se uma pessoa que já creu em Jesus tem todos os seus pecados perdoados e está pronto para entrar no céu, por que Deus a deixa aqui? Porque existe um propósito (ou mais de um). O mais humilde e desconhecido servo de Deus tem um papel importante na obra de Deus neste mundo.

Pense na menina escrava da mulher de Naamã e o impacto que teve a sugestão que deu à sua patroa sobre quem Naamã devia procurar para ser curado da lepra. A princípio ela não deve ter entendido por que Deus permitiu que o inimigo de Israel a capturasse para servir de escrava (2 Rs 5:2-3). Ou pense no rapaz anônimo que um dia saiu de casa com cinco pães de cevada e dois peixinhos na sacola e parou para ouvir o que Jesus dizia (Jo 6:9).

Gosto de uma historinha das árvores da floresta, uma que queria ser usada para construir o bercinho de um grande príncipe, outra que desejava ser transformada em um grande e luxuoso barco para levar um soberano, e outra que não queria ser menos do que o trono dessa pessoa ilustre. Elas ficaram frustradas quando, depois de cortadas, foram transformadas respectivamente em uma manjedoura, em um barquinho de pesca e em uma cruz para a execução de um malfeitor. Nem preciso dizer que mais tarde elas entenderam o propósito de existirem.

Deus pode me deixar aqui porque há coisas que Ele quer que eu aprenda que não poderia aprender no céu, como a Sua fidelidade em cuidar de mim em um ambiente hostil, por exemplo. Ele também me deixa aqui para testemunhar dEle aos outros, porque não foi a anjos que designou para pregar o evangelho, mas a homens.

Posso ficar aqui também para que minha vida dê testemunho do poder transformador de Deus. Posso ficar para servir de exemplos a outros, e isso inclui ficar aqui com alguma doença incurável, por exemplo. Como as pessoas ficariam cientes de Deus consola o aflito se não existisse nenhum aflito crente por perto? Imagine que você é a tela, as circunstâncias são as tintas e Deus é o pintor. O próprio Senhor explicou isso ao falar do propósito da deficiência do cego de nascença.

Joã 9:2-3 E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus.

Do mesmo modo como Deus tem um propósito para a vida do crente, Ele tem um propósito para a morte. Deus pode me tirar do mundo por diferentes razões. A pior seria por não servir mais como um testemunho e só ficar atrapalhando aqui. Creio ter sido o caso de Ananias e Safira. É este o "pecado para a morte" de que a Bíblia fala, para a morte do corpo, não na alma. Seria também a "destruição do corpo" de que fala 1 Coríntios 5, caso o homem imoral não se arrependesse, como parece que se arrependeu em 2 Coríntios.

Posso ser tirado do mundo porque minha partida servirá de testemunho a muitos, como aconteceu com Abel. Lembro-me do caso daquela jovem na escola americana (Columbine) cujo testemunho de fé diante de seu assassino, depois contado pelas colegas, acabou levando muitos a crerem em Cristo. Escrevi sobre isso aqui: http://www.stories.org.br/columbine.html

Ou posso ser levado do mundo simplesmente porque "combati o bom combate, completei a carreira, guardei a fé" (2 Tm 4:7), que foi o caso de Paulo. O importante é termos sempre em mente que não devemos desperdiçar nem a vida nem a morte. Minha primeira reação a qualquer situação é: Deus tem um propósito nisto também. E isso inclui todos os problemas que passamos, pois cada um tem um propósito muito definido nos planos de Deus.

Luc 12:22 E disse aos seus discípulos: Portanto vos digo: Não estejais apreensivos pela vossa vida.]

Jer 29:11 Porque eu bem sei os pensamentos que tenho a vosso respeito, diz o SENHOR; pensamentos de paz, e não de mal, para vos dar o fim que esperais.

Mario Persona

Fonte: http://www.respondi.com.br/2011/05/existe-um-proposito-para-minha-vida.html

O Senhor vem buscar a igreja antes da chegada do anticristo?

Há vários indícios na Palavra que mostram que o anticristo não será manifestado enquanto a igreja estiver na terra. Talvez a passagem mais clara seja 2 Tessalonicenses 2. É preciso entender o caráter das duas epístolas aos tessalonicenses: a primeira fala da vinda do Senhor para a igreja, a segunda fala da vinda de Cristo para o mundo.

Antes, eis a chave para entender por que a igreja sairá deste mundo quando o Espírito voltar ao céu:

Joã 14:16-17 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Consolador, PARA QUE FIQUE CONVOSCO PARA SEMPRE; O Espírito de verdade, que o mundo não pode receber, porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque habita convosco, e estará em vós.

O Senhor iria se ausentar, mas não deixaria os discípulos sozinhos: ele enviaria o Consolador, o Espírito Santo, para ficar com eles PARA SEMPRE. Portanto temos aqui a promessa de uma união indissolúvel.

Em Atos o Espírito Santo desceu e batizou em um só corpo aquele grupo de cerca de cento e vinte discípulos reunidos em um cenáculo (andar elevado da casa).

Ats 2:1-4 E, cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos concordemente no mesmo lugar; E de repente veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. E todos foram cheios do Espírito Santo, e começaram a falar noutras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.

A partir daquele dia, todo aquele que crê em Jesus como Salvador é selado com o Espírito Santo e acrescentado ao corpo de Cristo, que é a igreja. Não é "batizado" com o Espírito Santo porque esse batismo só ocorreu uma vez em Pentecostes, em etapas: judeus (At 1:5, 2:2), gentios (At 10:47, 11:16) e discípulos de João (At 19:6). A partir de então, todo aquele que crê está incluído nesse "batismo" de inauguração da igreja (caso contrário, haveria uma nova igreja inaugurada cada vez que alguém se convertesse).

Efs 1:13-14 Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa. O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória.

1Co 12:13 Pois todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, e todos temos bebido de um Espírito.

Jesus compara o povo de Deus a um rebanho de ovelhas, mas apenas para deixar a figura mais clara para nossa realidade, pense em um rebanho de gado. Cada vez que o fazendeiro compra um novo animal ele grava sua marca no couro com um ferro quente, evitando assim que outro tome posse dele. Esta marca, em nosso caso, é o Espírito Santo, o sinal de que pertencemos a Deus ("possessão adquirida").

Juntando tudo, se Jesus disse que os salvos por ele teriam o Espírito Santo para sempre, então, assim como acontece com o boi e sua marca, para onde formos o Espírito também irá, e para onde o Espírito for, nós também iremos. Existe uma ligação indissolúvel, e é interessante que o mesmo anseio da igreja pela vinda do Senhor é também o anseio do Espírito em Apocalipse:

Apo 22:17 E o Espírito e a esposa dizem: Vem.

Portanto o que Paulo está dizendo em 2 Tessalonicenses é que eles não deviam se inquietar como se a "vinda do Senhor" (arrebatamento) já tivesse acontecido e eles tivessem sido deixados para trás para enfrentarem o "dia de Cristo" (quando Cristo descerá para julgar as nações e inaugurar o seu Reino)

As tribulações que estavam sofrendo (2 Ts 1:4-7) não deviam ser confundidas com aquelas que precederiam o "dia de Cristo", quando o Senhor Jesus iria vingá-los (2 Ts 1:7), como se esse dia já tivesse chegado.

A prova apresentada aos tessalonicenses de que esse "dia de Cristo" ainda não tinha chegado era o fato de o anticristo ainda não ter sido manifestado, pois PRIMEIRO devia ocorrer a apostasia ou abandono da verdade, e então seria revelado o "filho da perdição".

Resumindo a argumentação do apóstolo: O "dia do Senhor" (arrebatamento) ainda não tinha ocorrido porque ainda não ocorreu nossa "reunião com Ele". O "dia de Cristo" ainda não chegou, pois antes deste último é preciso que venha a apostasia e o anticristo seja revelado.

Outro detalhe importante é que na metade do cumprimento da septuagésima semana profética de Daniel 9:27, ou seja, no início desse período de sete anos o anticristo fará uma aliança com os judeus, e aos três anos e meio dessa semana de anos, ele irá se assentar no Templo de Deus querendo parecer Deus.

Dan 9:27 E ele firmará aliança com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador, e isso até à consumação; e o que está determinado será derramado sobre o assolador.

2Ts 2:4 O qual se opõe, e se levanta contra tudo o que se chama Deus, ou se adora; de sorte que se assentará, como Deus, no templo de Deus, querendo parecer Deus.

Para que tudo isso aconteça é preciso que o Templo de Jerusalém seja reconstruído no terreno onde hoje existe uma mesquita muçulmana. Já percebeu que isso vai dar muito pano pra manga, não é mesmo? Se estamos esperando a vinda do Senhor para buscar sua Igreja, não estamos esperando a construção do Templo e a manifestação do anticristo, pois serão necessários alguns anos para sua construção.

Mais uma evidência de que não estaremos aqui quando o anticristo se manifestar é que, para ele se manifestar, é preciso que seja tirado o que se opõe a ele, o Espírito Santo de Deus que hoje está habitando na terra na igreja.

2Ts 2:7-8 Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado; E então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda;

Por causa daquela união indissolúvel que vimos em João 14 entre o Espírito Santo e a Igreja; por ambos estarem esperando ("O Espírito e a esposa dizem Vem") pela vinda do Senhor, e por um dia o Espírito ter vindo habitar neste mundo na igreja -- o dia em que ele sair deste mundo a igreja não tem como continuar aqui. Existe uma "costura", um "link", não há mais como separar um do outro, segundo a promessa do Senhor.

"E ENTÃO será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda".

por Mario Persona

É difícil ser humilde, quando se é o melhor

O PERIGO DO PRESTÍGIO

Nada há mais perigoso para o cristão do que o desejo de alcançar "fama". É um laço do diabo. Têm havido muitos servos de Deus que se inutilizaram em conseqüência dos seus esforços humanos como fim de manter um "nome".

Se eu tiver adquirido uma determinada reputação em qualquer dos diversos serviços que presto ao Senhor - ou como um ativo evangelista, ou como mestre capaz, ou escritor hábil e claro, ou homem de oração, homem de fé, ou como uma pessoa verdadeiramente santa e consagrada, e também amiga de fazer bem aos outros, etc., enfim se tiver ganhado prestígio num destes campos qualquer - fico sob o perigo iminente de naufragar na fé.

É porque o inimigo procura sempre tornar a minha própria reputação um objetivo a alcançar em si mesmo, em vez de ser Cristo o único objetivo a procurar. Sem me dar por isso vou esforçando-me por manter o meu bom nome em vez de procurar a glória do nome de Cristo à minha volta. Isso me ocupará com pensamentos humanos, em vez de me manter olhando diretamente para Deus.

E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado. - Mateus 23:12

Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o conhecerá? - Jeremias 17:9

Autor desconhecido

terça-feira, 19 de novembro de 2013

O homem e a árvore

O homem culpado entre as árvores:
Adão e Eva "ouviram a voz do Senhor Deus que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim" (Gn 3:8). O Senhor procurava ter comunhão com a Sua criatura, o homem, mas este tinha desobedecido ao seu Criador, e a sua má consciência levou-o a esconder-se entre as árvores que o seu Criador tinha fornecido para seu bem-estar.

O homem culpado em cima da árvore:
"Zaqueu... correndo adiante subiu a uma figueira brava para O ver. E quando Jesus chegou àquele lugar, olhando para cima, viu-o e disse: Zaqueu. Desce depressa, porque hoje Me convém pousar em tua casa" (Lc 19:2-5). Para receber Jesus no nosso coração, é necessário que nos humilhemos, que nos baixemos da altura do nosso orgulho.

O homem culpado debaixo da árvore:
"Jesus viu Natanael vir ter com Ele e disse dele: Eis aqui um verdadeiro israelita em quem não há dolo. Disse-lhe Natanael: Donde me conheces Tu? Jesus respondeu e disse-lhe: Antes que Filipe te chamasse, te vi Eu estando tu debaixo da figueira" (Jo 1:47-48). Comparando o que Jesus disse, com o Salmo 32:1-5, parece-nos que Natanael, debaixo da árvore, estava confessando os seus pecados ao Senhor e ficou atônito ao dar-se conta de que Cristo era o próprio Senhor que tudo vê e tudo ouve.

E há também um significado profundo neste relato: "a figueira" é figura da nação de Israel. "A figueira" que Jesus amaldiçoou é uma figura de Israel, que então recusou o seu Messias, Jesus, e por conseguinte não apresentou nenhum fruto a Deus. "Olhai para a figueira e para todas as árvores" refere-se a Israel e a todas as nações em redor (Mt 21:19; Lc 21:29). Israel, debaixo da figueira, é uma figura dos judeus que num futuro se arrependerão dos seus pecados e da crucificação do seu Messias e confessarão a Cristo como tal.

O Homem inocente e santo cravado na árvore:
"E quando chegaram ao lugar chamado a Caveira, ali O crucificaram... E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes porque não sabem o que fazem" (Lc 23:33-34). Vítima santa! Sublime amor! Amor infinito! Compaixão profunda! Intercessão incomparável! Aquele Homem santo, que nunca tinha feito mal algum, ei-Lo crucificado em lugar do pecador que o merecia esse juízo por ser culpado e ter se afastado de Deus! "Levando Ele mesmo em Seu Corpo os nossos pecados, sobre o madeiro" (1 Pd 2:24).

Quatro homens: o homem pecador entre árvores; o homem pecador em cima da árvore; o homem pecador debaixo da árvore; e o HOMEM SANTO crucificado na árvore por amor dos homens culpados.

Bem-sucedido

Como é difícil levar as boas-novas para uma pessoa bem-sucedida. Como dar boas notícias, para uma pessoa que não tem má notícia? Como comp...