sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

Uma nova chance


Deus decidiu dar outra chance à humanidade, recomeçando por intermédio de Noé e abrindo a dispensação que podemos chamar de 'governo humano'. Noé recebeu autoridade sobre seus semelhantes, inclusive com poder de condenar à morte aquele que derramasse o sangue de seu próximo. Isso nunca foi revogado por Deus.

Ao saírem da arca, Noé e seus filhos encontraram um mundo diferente. A expectativa de vida, que em poucas gerações cairia para os 120 anos, continuaria a cair até atingir a média de 30 anos. Foi só no século 20 que a medicina reverteu essa tendência e hoje a média gira em torno dos 70 anos, quase 900 anos menos que a idade de Matusalém, avô de Noé.

Nesse novo mundo Deus deu a carne como alimento, e os animais passaram a temer e a fugir dos homens, o que não acontecia antes. Tudo ia bem, até Noé, o primeiro governador desses novos tempos, sucumbir à embriaguez e cair em desgraça. Como sempre acontece nas dispensações, tudo começa bem e acaba mal. Os descendentes de Noé cuidaram disso no capítulo 11 de Gênesis.

Ali nós os encontramos pretenciosos e declarando-se donos do mundo. Eles dizem: "Vamos construir uma cidade, com uma torre que alcance os céus. Assim nosso nome será famoso e não seremos espalhados pela face da terra" (Gn 11:4). Porém Deus, falando na primeira pessoa do plural por ser uma ação do Pai, do Filho e do Espírito Santo, declara:

"Eles são um só povo e falam uma só língua, e começaram a construir isso. Em breve nada poderá impedir o que planejam fazer. Venham, desçamos e confundamos a língua que falam, para que não entendam mais uns aos outros" (Gn 11:6-7). O relato bíblico continua dizendo que "o Senhor os dispersou dali por toda a terra, e pararam de construir a cidade. Por isso foi chamada Babel [que significa 'confusão'], porque ali o Senhor confundiu a língua de todo o mundo".

O homem havia falhado na inocência, na consciência e no governo humano. Deus agora chamaria um para fora da idolatria que assolava o mundo e lhe daria uma promessa. Abrão, nome que significa "pai exaltado", mais tarde seria chamado de Abraão, ou "pai de uma multidão". Deus prometia a ele uma terra -- Canaã -- e uma posteridade, porém não sem sacrifício. Prefigurando o que o próprio Deus faria séculos mais tarde com seu Filho, Abraão recebeu a ordem de sacrificar Isaque, seu filho, em holocausto a Deus.

Aquilo tinha por objetivo provar a fé de Abraão, de que Deus traria seu filho de volta da morte. Uma vez satisfeito, Deus interrompeu o sacrifício e entregou um carneiro para ser morto em lugar de Isaque. Anos mais tarde o sacrifício do Filho de Deus não seria interrompido. O Cordeiro de Deus teria mesmo de morrer.

Fúria de Titãs


A terra antes do dilúvio é de causar inveja em qualquer autor de literatura fantástica. Era um planeta totalmente diferente. Não chovia -- uma névoa regava as plantas. As condições atmosféricas, de radiação solar e menor degradação genética permitiam que sua população vegetariana vivesse por quase mil anos. Sim, vegetariana, porque a carne só seria dada por alimento após o Dilúvio.

A população na véspera do Dilúvio poderia ser igual ou maior que a atual. Faça as contas e você verá.* Havia uma única civilização, um único idioma e um único continente. A expectativa de vida era medida em séculos e as pessoas transmitiam verbalmente e de primeira mão séculos de conhecimento. O pai e o avô de Noé eram contemporâneos de Adão, que lhes contou o que aconteceu no Éden. Por isso não havia idolatria antes do dilúvio. As pessoas sabiam que Deus era real, porém tentavam substituí-lo pela capacidade humana, como fazem os modernos humanistas.

No Éden Satanás fora avisado de que um descendente da mulher esmagaria sua cabeça, por isso armou um plano para corromper a linhagem humana. Seus anjos caídos desertaram de seu estado natural, assumiram a forma humana e fecundaram mulheres, que geraram seres híbridos e poderosos conhecidos por "nefilins" ou "gigantes". Agora você já sabe de onde vêm as antigas lendas de titãs e semideuses. Não são lendas; eles realmente existiram.

Naquele mundo de habitantes centenários, convivendo com titãs com poderes só vistos nos livros de ficção, Deus era reconhecido e respeitado por poucos. Pouquíssimos, se você considerar que apenas Noé, sua esposa, filhos e noras -- oito pessoas -- acreditaram na Palavra de Deus de que o mundo seria destruído. Somente eles entraram na imensa arca repleta de animais, cuja porta foi fechada do lado de fora pelo próprio Deus.

Por mais de cem anos Noé anunciou publicamente, tanto o juízo de Deus quanto a salvação pela fé. Jesus, em Espírito, pregava por intermédio de Noé aos que mais tarde teriam seus espíritos em prisão por rejeitarem a Palavra de Deus. Para serem salvos teria bastado crer na Palavra de Deus e estar no lugar que Deus determinou: a arca. Mas isso exigia fé, pois a arca foi construída em terra seca numa época quando ninguém sabia o que era chuva, quanto mais um dilúvio.

Hoje Deus avisa que este mundo será mais uma vez destruído, só que por fogo. Desta vez a salvação está numa Pessoa, Jesus, o Filho de Deus, o único sobre quem o fogo do juízo divino já caiu. Para ser salvo de uma enchente você precisa flutuar sobre ela. Para ser salvo do fogo, você precisa estar onde ele já queimou.

domingo, 26 de janeiro de 2014

Amor



O amor é tão antigo quanto o próprio Deus -- é eterno, sempre existiu e sempre existirá. O amor faz parte da essência de Deus. O apóstolo João afirma em sua primeira carta que "Deus é amor". Mas como o amor podia existir antes de todas as coisas? Como Deus podia amar quando ainda não existia alguém para ser amado?

É aí que entra a Trindade, uma palavra usada para explicar que Deus é um, porém em três pessoas: Pai, Filho e Espírito Santo. Esse um só Deus em três Pessoas pode ser claramente visto desde o livro de Gênesis. Ali Deus é chamado de Elohim, palavra hebraica plural, e ao criar Adão, Deus fala no plural: "Façamos o homem".

Em João 17, Jesus, o Filho, diz ao Pai: "Me amaste antes da fundação do mundo". Esse amor já era exercitado no seio da Trindade quando não existia nem tempo, nem matéria. Na Bíblia você encontra expressões como "o Pai mesmo vos ama", "Cristo amou a igreja" e "o amor de Deus está derramado em nossos corações pelo Espírito Santo que nos foi dado".

Além disso, por ser onisciente e onipresente no tempo e no espaço, Deus pode amar você antes de você existir. Se você perguntar quando foi que Deus começou a amar você, a resposta correta é "nunca". Ele nunca começou a amar, porque sempre amou. Por não existir uma palavra para expressar a magnitude desse amor, João diz que "Deus amou o mundo de tal maneira". O mundo são as pessoas, e a expressão "de tal maneira" é usada por ser impossível quantificar esse amor.

Portanto, a menos que você creia em Jesus como seu Salvador, jamais irá entender o real significado de um amor que não tem começo e nem fim, porque é eterno. A primeira carta de João diz que nós amamos a Deus "porque ele nos amou primeiro". Como você pode dizer que ama a Deus se ainda não experimentou esse amor crendo em Jesus?

Ao falar desse amor, João diz que "o amor é de Deus, e qualquer que ama é nascido de Deus e conhece a Deus". Isto equivale dizer que se você ainda não nasceu de novo -- de Deus -- só poderá amar com as diferentes formas de amor natural, como o de mãe, o fraterno ou o erótico. Jamais saberá o que é amar com o amor que é derramado pelo Espírito Santo nos corações daqueles nos quais ele habita.

E João vai além, ao escrever que "aquele que não ama [com esse amor de Deus] não conhece a Deus". Quando você nasce de novo e é salvo por Jesus, passa a desfrutar dos benefícios desse amor, como por exemplo, a segurança eterna. Mas digamos que mesmo depois de convertido você ainda teme ser condenado. A Bíblia diz que "no amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor".

Fonte: texto de Mário Persona http://www.3minutos.net/2011/03/239-amor.html

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O primeiro problema a ser resolvido



No final do capítulo 22 de Mateus os fariseus tentam outra vez fazer Jesus tropeçar em alguma palavra. Agora é a vez de um teólogo da época. Ele pergunta: "Mestre, qual é o grande mandamento da lei?"

Jesus responde: "Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento". O evangelho de Marcos acrescenta "de todas as tuas forças". Isso abrange a totalidade do nosso ser: emoção, ânimo, intelecto e vigor. Se este é o grande mandamento, o grande pecado é amar assim qualquer outra coisa.

O homem moderno, que assiste o Discovery Channel, se acha mais evoluído do que as pessoas mostradas nos documentários adorando uma pedra, uma vaca ou um guru senil. O problema é que você pode ser idólatra de terno e gravata e com um pós doutorado no currículo. Basta confiar em qualquer coisa que não seja Deus.

Você só se sente seguro com os bolsos cheios? O dinheiro é seu deus. Perdeu a vontade de viver porque levou um fora da garota? Queime incenso no altar dela. É na academia e na dieta que está sua garantia de vida eterna? Cante louvores à balança. Aquilo que você mais ama, em que mais confia, no que aposta todas as suas fichas, esse é o ídolo ao qual você dá o crédito por sua segurança, felicidade e bem estar.

Idolatria é ser controlado por qualquer outra coisa que não seja Deus. Escolhemos nossos ídolos e nem nos damos conta do quanto acabamos controlados por eles. Todas as coisas que consideramos a razão de nosso viver, das quais dependemos e nas quais confiamos, isso é o nosso panteão, o nosso Olimpo, o altar de nossos sacrifícios.

Nossa má conduta também revela quem está no controle. Quando você comete um pecado, como por exemplo a mentira, está confiando em seus próprios instintos, esquemas e raciocínios, ao invés de confiar em Deus. Quando se deixa levar pelas tentações, idem. Você dispensa Deus e entrega o controle a elas.

Talvez não exista um culto mais frequentado pelo homem moderno do que o culto à vontade própria. Vivemos prostrados diante do altar de nossos caprichos cantando o mantra: "Eu mereço ser feliz". Isso nos torna indulgentes para com nossas manias e iguais a aborígines que alimentam de oferendas um hipopótamo mal acostumado.

O moderno espiritualismo nos leva a acreditar que a solução para tudo, inclusive nossa salvação eterna, esteja em nós. Aí achamos que somos bons por natureza ou que os possíveis defeitos e pecados possam ser sanados por uma boa dose de boas ações e espiritualidade.

Quando pensamos assim estamos de costas para Deus, para aquele que quer ter 100% do controle de nossa vida e vontade, para poder resolver 100% de nossos problemas, a começar pelo PRIMEIRO: a purificação de nossos pecados feita há 2 mil anos na cruz.

terça-feira, 14 de janeiro de 2014

Se a vida é uma tigela de cerejas, por que eu só tenho caroços?



Deus nunca prometeu uma vida fácil aqui neste mundo. Nosso lar está no céu e este mundo é apenas o lugar de peregrinação do cristão, assim como o deserto era o lugar de peregrinação dos israelitas após terem sidos salvos do Egito. O Senhor disse: "no mundo tereis aflições" (Jo 16.33). Ele não prometeu que estaríamos livres de problemas, desemprego, enfermidades, enfim, toda a sorte de aflições.

Há muitos hoje que pregam que o cristão deve viver num 'mar de rosas', sem enfermidades, desemprego ou outros problemas. Isso é tão falso quanto o ensino de Himeneu e Fileto (2 Timóteo 2.18), que diziam que a ressurreição já havia acontecido. Ainda estamos em nosso velho corpo, arruinado pelo pecado e sujeito a dores e enfermidades, e vamos ter que permanecer nele até a vinda do Senhor para nos arrebatar e levar ao Céu. Além disso continuamos em um mundo hostil, ainda não chegamos ao Lar, e é perfeitamente normal que os cristãos tenham problemas e aflições aqui. Mas a grande diferença é que o crente tem o Senhor e a Sua graça. Isso não basta?

Às vezes sofremos não as aflições deste mundo, mas a disciplina do Senhor por causa da nossa impetuosidade (como o cavalo do Salmo 32) ou da nossa teimosia (como a mula do mesmo Salmo). O melhor é entregarmos o nosso caminho ao Senhor (Salmo 37:5) e Ele fará tudo o que tem que ser feito. Conheço a história de uma enfermeira crente que se dedicava ao extremo aos doentes, ganhando muito pouco. Um de seus colegar a incitava a se rebelar, dizendo: "Até Deus sabe que você merece ganhar mais". Sua resposta era: "Se Deus sabe, então não devo me preocupar. Já está nas mãos d'Ele!". Tudo o que passamos é do conhecimento de Deus e Ele tem um propósito em tudo. Muitas vezes somos tentados a procurar mudar as coisas, tornandoas mais fáceis aos nossos olhos e, fazendo assim, agimos contra a vontade do Senhor.

sábado, 11 de janeiro de 2014

Contato imediato...



A todo momento somos bombardeados com notícias, livros e filmes sobre seres de outros planetas. Existirá alguma verdade por detrás de tudo isso? Vamos considerar alguns pontos importantes sobre este assunto.

O Que é Preciso Para Existir Vida?

Para que existisse vida em outros planetas, as condições teriam que ser ideais. A vida só seria possível se o planeta estivesse, por exemplo, a uma distância correta do seu sol, do contrário seria muito quente ou muito frio. A vida na Terra depende de uma infinidade de fatores além da distância do Sol. A composição da atmosfera, do solo, dos oceanos e rios, a inclinação do eixo da Terra e sua distância, não apenas do Sol mas até mesmo dos outros planetas, são importantes. Até mesmo a Lua afeta tremendamente a vida na superfície deste planeta. Apesar de existirem milhões de planetas em órbita de outras estrelas, seria extremamente improvável encontrar algum que tivesse exatamente as mesmas características. Ter água apenas não é suficiente, apesar da euforia que ocorreu entre os cientistas quando foi detectada a possível existência de água na lua Europa que gira em torno de Júpiter.

Vida Que Surge do Nada?

Mas ainda que se encontrassem todas as substâncias e condições ideais, isto por si só não indicaria a existência de vida. Sem a intervenção de alguma forma de inteligência, substâncias químicas sem vida não poderiam se transformar em coisas vivas. A Bíblia, a Palavra de Deus escrita e revelada a nós, ensina que a vida surgiu por um ato de criação de Deus neste planeta. Se existissem outros planetas parecidos com a Terra, a vida só teria surgido neles se Deus a tivesse criado. Os ateus e evolucionistas acreditam que a vida tenha surgido por acaso e por esta razão acreditam que o mesmo poderia ter acontecido em outros planetas. A teoria da evolução é apenas uma das muitas formas de se rejeitar a Deus como Criador.

Seres Extraterrenos?

Existem alguns problemas impossíveis de serem resolvidos quando se acredita em seres extraterrenos. Deus nos deu detalhes específicos do futuro de todo o Universo, como a volta de Jesus à Terra e o que acontecerá no fim. O Universo, em algum dia ainda futuro, se enrolará como um rolo (Isaías 34:4; Apocalipse 6:14). Se Deus tivesse criado seres vivos em outros planetas, eles seriam automaticamente destruídos, sem possibilidade de salvação. Foi por causa do pecado de Adão que tais coisas irão acontecer e foi na Terra que Adão pecou e foi à Terra que Cristo veio para morrer por causa do pecado. Foi ainda na Terra que Cristo ressuscitou, tendo Deus aceitado o Seu sacrifício, e é à Terra que voltará para buscar os que são Seus.

Apenas Um Meio de Perdão

Existe só um meio de Deus perdoar pecadores, seja onde estiverem no Universo: a pena deve ser paga pelo próprio Deus feito homem. Jesus, o Filho de Deus, precisou Se tornar homem para nos redimir. E isso Ele fez uma vez só e permanece vivo para sempre, um Homem no céu. Caso existissem outros seres inteligentes em outros planetas, que também fossem pecadores, Cristo teria que ir a cada um desses planetas e tomar a forma dessas criaturas, o que seria um absurdo e totalmente inconsistente com a Verdade. Só existe um Filho de Deus, O qual é Deus e Homem em uma Pessoa.

Foi na Terra que Satanás veio espalhar sua rebelião e foi na Terra que Jesus veio vencê-lo e destruir seu poder que alcança todo o Universo. Será a esta Terra que Cristo virá para vencer o Anticristo e estabelecer o Seu Reino. E do planeta Terra Ele irá reger todo o Universo. Cristo morreu uma só vez e foi neste planeta para redimir a raça humana. Seu sacrifício e Sua ressurreição resolveram a questão do pecado de abrangência universal e é somente graças a esse sacrifício que será possível existir um novo céu e uma nova Terra.

Os Verdadeiros Extraterrestres

Acontece que existe uma outra esfera no Universo onde há seres vivos. Estou me referindo aos anjos. Entre eles há os que se rebelaram contra Deus, chamados demônios, os quais são liderados por Satanás ou Lúcifer. Há alguns milênios que Satanás vem adquirindo experiência em enganar os seres humanos e provavelmente é ele o ser "extraterrestre" que está por detrás das aparições de OVNIs que costumamos ver no noticiário. A melhor maneira de não sermos enganados pelas artimanhas de Satanás é crendo na Palavra de Deus. É nosso único guia seguro.

Tudo Com Uma Função

Mas por quê então Deus teria criado esse imenso universo apenas com um planeta habitável? Não devemos ir além do que a Bíblia ensina para responder a esta pergunta. Ela nos diz que Deus criou o Sol, a Lua e as estrelas para produzir luz e para ajudar os homens. Sim, uma das razões de Deus haver criado a Lua, o sistema solar e as estrelas foi nos dar uma maneira de contarmos o tempo (horas, dias, meses e anos) e prever as estações. Sem esses corpos celestes, a contagem do tempo, a navegação e a agricultura teriam sido muito difíceis. Desde a antiguidade o homem usa a posição do Sol, da Lua e das estrelas para elaborar seus calendários. E numa época tão moderna quanto esta em que vivemos, os satélites e naves espaciais conseguem se orientar no espaço graças às estrelas. Acredita-se que até mesmo alguns pássaros se orientem pelos corpos celestes para poderem migrar por grandes distâncias.

Outra razão da existência de miríades de estrelas é dar glória a Deus - chamar a atenção do homem para a tremenda grandeza e poder do Criador. A vastidão do universo é uma tremenda expressão do poder e majestade de Deus. Deus é maior do que jamais conseguiríamos imaginar, maior ainda que Sua espetacular criação, o Universo. O Salmo 8:1,3,9 declara: "Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o Teu nome em toda a Terra, pois puseste a Tua glória sobre os céus! Quando vejo os Teus céus, a obra dos Teus dedos, a Lua e as estrelas que preparaste... Ó Senhor, Senhor nosso, quão admirável é o Teu nome sobre toda a Terra!"

Quando você olhar para o céu ou pensar na imensidão do Universo, medite na glória de Deus ao invés de ficar sonhando com fantasias de seres alienígenas. E ao invés de ficar pensando em se encontrar com supostos seres de outros planetas, você deveria estar preparado para um encontro que irá acontecer com toda certeza: o seu encontro com o Senhor Jesus Cristo. Se você tiver um encontro pessoal com Ele enquanto ainda está vivo, crendo nEle e na Sua obra na cruz do calvário, você terá garantida a sua salvação eterna. Este é um verdadeiro encontro de primeiro grau; um encontro de máxima urgência. Caso contrário você terá que se encontrar com Ele, só que então Ele será o seu juiz que irá anunciar sua sentença de condenação eterna.

Faça um contato imediato agora mesmo com o seu Salvador. Confesse a Ele os seus pecados e peça a Ele o perdão e a salvação. Você não precisa entender tudo; basta você crer. "E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e os vossos sentimentos em Cristo Jesus." (Filipenses 4:7)

Fonte: parte do texto deExiste vida fora da terra?” postado por Mário Persona.
Link do texto completo:  http://www.respondi.com.br/2005/06/existe-vida-em-outros-planetas.html

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Demônios e porcos



Após Jesus ter apaziguado a tempestade o barco chega ao outro lado do Mar da Galiléia. Aquele que mostrou ter poder sobre as enfermidades e os elementos da natureza vai mostrar que tem poder e autoridade sobre mais de dois mil demônios.

Demônios são anjos que se rebelaram contra Deus muito antes da criação dos seres humanos. O motivo? Orgulho, independência, auto-suficiência - as mesmas coisas que nos fazem passar longe de Deus.

A diferença que existe entre anjos e homens é que um certo número deles foi criado e foi isso. Anjos não procriam, não se multiplicam e também não morrem. Os anjos e demônios que você encontra na Bíblia são os mesmos que estão por aí.

Por não terem sido vítimas de um estímulo ou tentação externa, como aconteceu com Adão e Eva que foram tentados por Satanás travestido de serpente, e também por não morrerem, não há perdão ou salvação para os anjos que pecaram. Mas para os seres humanos há.

Ao contrário do que você vê nos gibis e filmes, os demônios não moram no inferno. Eles estão por aí circulando entre o céu e a terra e se opondo a tudo o que é de Deus. Deus quer salvar? Os demônios querem destruir. Deus quer libertar? Eles querem escravizar. Deus quer aliviar? Eles querem transtornar.

Mas os demônios não apenas influenciam ou prejudicam os seres humanos. Eles podem também dominar as pessoas e até invadir seus corpos, como foi o caso daqueles dois homens possessos que Jesus encontrou assim que desembarcou na região de Gadara. Dois mil demônios tinham tomado posse daqueles homens que viviam loucos e transtornados em meio aos sepulcros.

Os demônios imediatamente reconhecem a Jesus como o Filho de Deus e o adoram. Perguntam a ele por que tinha vindo incomodá-los antes da hora. Sim, porque haverá um dia quando Satanás e seus anjos serão condenados ao lago de fogo que foi originalmente preparado para eles, não para os homens.

Jesus liberta aqueles dois homens expulsando os demônios e permitindo que eles entrem em mais de dois mil porcos que pastavam no local. Os porcos, possessos e enlouquecidos, se atiram pelo despenhadeiro e se afogam no mar, confirmando a vocação dos demônios que é de matar e destruir.

Agora os dois homens libertados encontram-se em seu perfeito juízo e conversam com Jesus enquanto os que cuidavam dos porcos correm à cidade para contar o que tinha acontecido.

A população do lugar vem imediatamente se encontrar com Jesus, não para celebrar ou agradecer a ele por duas vidas salvas, mas para lamentar a perda de dois mil porcos. Antes que a presença de Jesus causasse um prejuízo maior, eles pedem que Jesus caia fora.

Você provavelmente fará o mesmo se der mais importância a porcos do que a Jesus. Mas, enquanto alguns se agarram a seus porcos, outros fazem o possível e o impossível para levar um amigo doente a Jesus para ser libertado...

Fonte: texto de Mário Persona | Leitura: Evangelho de Mateus 8:28-34; Marcos 5:1-20; Lucas 8:26-39

sábado, 4 de janeiro de 2014

O que acontece depois da morte? Parte 4: Destino final


GLÓRIA
“a fase final da salvação dos santos”
Ressurreição para o crente é o completo e final aspecto de livramento do todo o efeito e consequência do pecado. Quando a primeira ressurreição tiver lugar na vinda do Senhor (arrebatamento) cada filho de Deus que partiu deste mundo pela morte será ressuscitado com corpos incorruptíveis (1Co 15.51-55 "isto que é corruptível se revestir de incorruptibilidade"; 1Ts 4.15-18). Os corpos dos cristãos passarão por uma transformação quando forem arrebatados para encontrar com o Senhor nos ares (1Co 15.52-54 "isto que é mortal ser revista de imortalidade"). Os corpos dos santos (aqueles que ressuscitaram e os que foram arrebatados) serão glorificados como o corpo do Senhor Jesus Cristo que Ele mostrou aos seus discípulos na ressurreição (Fp 3.21; Rm 8.17,30; Lc 24.39-43). Quando glorificados os santos não aparentarão seus defeitos e envelhecimento, etc., mas estarão no "orvalho da mocidade" (compare Salmo 110.3 com Fp 3.21). Os santos irão também reconhecer uns aos outros naquele dia, como Pedro, Tiago e João reconheceram Moisés e Elias no monte da transfiguração (Lc 9:28-36). Além de terem corpos glorificados os santos irão também experimentar uma moral permanente em semelhança a de Cristo (1Jo 3.2). A natureza caída e pecaminosa será erradicada para sempre (Hb 11.40, 12.23 "feitos perfeitos"). O apóstolo Paulo fala desse estado glorificado como sendo "revestidos da nossa habitação, que é do céu" (2Co 5.1-2). Também se faz referência a isso como a fase final da salvação dos santos a qual lhes foi dita que esperassem por ela (Rm 5.9, 8.11,19-25, 13.11; Hb 9.28; 1Pe 1.5). Assim a morte será "tragada pela vitória" (1Co 15.54). Mais que isto, na aparição de Cristo (depois de sete anos de tribulação), os santos em estado glorificado serão revelados ao mundo como associados com Cristo (2Ts 1.10). Eles viverão e reinarão com Ele sobre a terra no reino Milenar (Ap 20.4-6). Este estado glorificado é eterno (2Tm 2.10).

INFERNO
“habitação final e eterna dos perdidos”
Será a habitação final e eterna dos perdidos. O inferno é o lugar dos condenados e foi preparado para o diabo e seus anjos, mas todas as criaturas más e não arrependidas, serão encontradas lá no final. As pessoas que forem para o inferno serão seres humanos responsáveis que tiveram plena oportunidade para receber e crer no testemunho que Deus lhes deu de Si mesmo, mas conscientemente rejeitaram.

Não haverá crianças ou pessoas mentalmente desabilitadas, pois elas não atingiram idade de responsabilidade em suas vidas. Deus é fiel e justo em não permitir que qualquer destes “pequeninos” pereça em uma eternidade perdida (Mt 18.10-14; 2 Sm 12.23; Gn 18.25)

Ainda não há pessoas no inferno, as primeiras pessoas colocadas lá serão a Besta e o Falso Profeta (Ap 19.20). Pessoas perdidas estão no presente em prisão no hades, sofrendo tormentos, mas estas pessoas irão mais tarde ser consignadas, depois de ressuscitadas, para o inferno para sempre.

O diabo e seus anjos que serão confinados temporariamente no abismo serão também lançados no inferno (Mt 25.41), de modo que toda criatura má e sem arrependimento terá a sua parte na eterna perdição.

Fonte: parte do texto de “A Morte, o Estado Intermediário, a Ressurreição e o Destino Final”, de B. Anstey, 1990.
Link do texto completo: http://manjarcelestial.blogspot.com.br/2013/05/a-morte-o-estado-intermediario.html

O que acontece depois da morte? Parte 3: Ressurreição

Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte; mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo, e reinarão com ele mil anos.” (Apocalipse 20.6)

RESSURREIÇÃO
“reunião da alma e espírito com o corpo”
Ressurreição é a reunião da alma e espírito com o corpo (Lc 8.55). Todos os que morrem, sejam justos ou injustos, irão experimentar a ressurreição, mas não simultaneamente. Há duas ressurreições:

A “primeira ressurreição” (Ap 20,4-6) é a “ressurreição dos justos” (Lc 14.14): é a ressurreição somente das pessoas justas. A primeira ressurreição tem lugar em três fases:

1º) A ressurreição de Cristo, “Cristo as primícias” (1 Co 15.20);
2º) A ressurreição de todos “os que são de Cristo na Sua vinda” (1 Co 15.21-23; 1 Ts 4.15-18); e
3º) A ressurreição dos mártires de Apocalipse antes do reino milenar de Cristo (Ap 20.4-6).

Todos que participam da “primeira ressurreição” gozarão de uma porção celestial com Cristo e reinarão com Ele sobre a terra (Ap 24.15).

A segunda ressurreição, chamada de “ressurreição dos injustos” (At 24.15) é a ressurreição das pessoas más que morreram em seus pecados. Eles ressuscitarão depois dos mil anos de reinado de Cristo na terra (Ap 20.7; 11-15) para ficarem diante do “grande trono branco” e receberão sua sentença após o julgamento. Todos que participam desta ressurreição serão lançados no lago de fogo para sempre.

Fonte: parte do texto de “A Morte, o Estado Intermediário, a Ressurreição e o Destino Final”, de B. Anstey, 1990.
Link do texto completo: http://manjarcelestial.blogspot.com.br/2013/05/a-morte-o-estado-intermediario.html

O que acontece depois da morte? Parte 2: O estado intermediário


 “Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso” (Lucas 23:43)

HADES
“paraíso para os salvos, prisão para os perdidos”
A sepultura é a custódia temporária do corpo, Hades é a custódia temporária do alma e espírito, sejam eles justos ou injustos, salvos ou perdidos.

Hades e Seol são uma e a mesma coisa. Seol está em hebraico no antigo testamento e Hades está em grego no novo testamento. No Hades há um grande abismo separando os justos dos injustos, de modo que ninguém pode passar de um para outro (Lc 16.26), o destino dos que se acham ali está determinado. Os justos estão no paraíso e os injustos em prisão aguardando pela sentença final no grande trono branco (Ap 20,11-15).

Pessoas neste estado fora do corpo são totalmente conscientes tendo memórias e emoções, mas não tem conhecimento das coisas que estão acontecendo neste mundo, uma vez que estão em outro, “os mortos não sabem coisa nenhuma” (Ec 9.5).

O ABISMO
“confinamento temporário para os espíritos angélicos maus”
É um lugar temporário de confinamento para os espíritos angélicos maus, que serão lançados no abismo quando o reino de Cristo se estabelecer na terra (Is 24.21.22). Alguns anjos maus já estão lá (2 Pe 2.4; Jd 6). Eles permanecerão lá até o grande dia do julgamento no fim dos mil anos de reinado de Cristo. Satanás também será preso no abismo durante o Milênio (Ap 20.1-3) após o qual ele será lançado no lago de fogo, o inferno (Mt 25.41).

Os anjos não estão sujeitos a morte e nem participam da ressurreição (Lc 20.35-36).

Fonte: parte do texto de “A Morte, o Estado Intermediário, a Ressurreição e o Destino Final”, de B. Anstey, 1990.
Link do texto completo: http://manjarcelestial.blogspot.com.br/2013/05/a-morte-o-estado-intermediario.html

O que acontece depois da morte? Parte 1: A morte


A Bíblia não foi escrita para meramente satisfazer a curiosidade humana, mas para nos ocupar com o Senhor Jesus Cristo que é o único capaz de encher nossos corações e nossas mentes. Deus, todavia, tem se agradado em nos revelar muitas coisas em sua Palavra, concernentes ao futuro de nossas almas de modo que possamos ter uma “completa certeza da esperança” (Hebreus 6.11). "Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens" (1 Coríntios 15.19). Felizmente, temos esperança no próximo mundo também.
Os comentários que se seguem são alguns fatos que sabemos sobre a morte, o estado intermediário, a ressurreição e o destino final dos seres humanos.

Desde a vinda de Cristo temos agora o privilégio de saber mais a respeito da condição de “fora do corpo”. A morte não é o fim da existência de modo que as pessoas possam escapar das consequências dos seus pecados, as Escrituras falam que “aos homens está ordenado morrerem uma vez vindo depois o juízo (Hb 9.27).

A Palavra de Deus deixa claro que o corpo é mortal (sujeito a morte), mas a alma e o espírito são imortais.

HÁ SOMENTE DOIS MODOS DE VIVER
A Bíblia diz que há dois modos de viver: “para si” ou “para ELE [Jesus]” (2 Co 5.15).

HÁ SOMENTE DOIS MODOS DE MORRER
Também há somente dois modos de morrer:

1) Morrer “no Senhor” (Ap 14.13): que é morrer estando salvo e seguro de todo juízo sob a proteção da obra consumada de Cristo e assim gozar de eterna bênção com Ele para sempre. É uma morte preciosa aos olhos do Senhor (Sl 116.15).

2) Morrer “em nossos pecados” (Jo 8.24): que é sair deste mundo eternamente condenado pelo juízo. Uma morte que o Senhor não tem prazer (Ez 33.11), pois Ele não quer que nenhum pereça (2 Pe 3.9).

A MORTE
“separação da alma e espírito do corpo”
A morte física ocorre no ser humano quando a alma e o espírito se separam do corpo. Tiago diz “o corpo sem o espírito está morto” (Tiago 2.26). A causa da morte é o pecado “o salário do pecado é a morte” (Rm 5.12, 6.23).

Fonte: parte do texto de “A Morte, o Estado Intermediário, a Ressurreição e o Destino Final”, de B. Anstey, 1990.
Link do texto completo: http://manjarcelestial.blogspot.com.br/2013/05/a-morte-o-estado-intermediario.html

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

NOÉ

 "E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem"
(Mt 24:37)

GÊNESIS 6

Gn 6:1-6 O pecado já naquele tempo tinha se espalhado por muitas partes da terra! E havia corrompido de tal forma a todos que Deus descreve isso da maneira como Ele vê no versículo 5. Cada lágrima de tristeza, separação, desapontamento, doença, morte, é resultado do pecado.

Gn 6:7 O pecado só pode trazer castigo. Não pode haver qualquer outro resultado. Ele deve ser pago com a morte (Hb 9:22), "remissão" significando pagamento.

“E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.” Hebreus 9:22

Gn 6:8-22 Mas Deus tem um homem pronto. Noé é uma figura de Cristo. Ele era um homem "justo" (correto e honesto) e perfeito (direito) e ele andou com Deus. Que contraste aquele com todas as pessoas ao redor dele! Noé permaneceu só. No meio de infiéis só ele era fiel. É difícil permanecer só. Lembre-se de Noé. Deus enxerga você e Ele lhe usará se você for fiel à Sua Palavra.

Gn 6:13 O castigo de Deus. As pessoas dizem, "Sorria, Deus ama você", mas se esquecem deste versículo. É necessário arrependimento para com Deus e fé em nosso Senhor Jesus Cristo. Depois vem o sorriso.

Gn 6:14 A graça traz libertação. Deus sempre Se compraz em agir em graça (Rm 5:20). Mas deve haver um pagamento pelo derramamento de sangue.

“Veio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça;” Romanos 5:20

Gn 6:14-22 Quando o pecado chega ao ápice, então vem o juízo. Mas Deus providencia um modo de escape. Somente na arca estava o meio de se escapar às águas da morte... Hoje, somente em Cristo há salvação. Cada exemplo de castigo tirado do castigo pelo pecado no Antigo Testamento é uma figura (um tipo) da cruz de Cristo. Às vezes a água é uma figura de juízo (Sl 69:2,14 e 15 e também Sl 42:7). Noé na arca, passando pelas águas, é uma destas figuras. Veja também Mt 12:40 e Mt 24:37-39. Isto demonstra que os acontecimentos do Antigo Testamento são figuras da salvação por meio de Cristo. Hoje o mundo está maduro (pronto) para o juízo. Desta vez será para sempre!

Fonte: parte do texto de Norman Berry - 1911-2001 | http://www.stories.org.br/gn_p.html
Fonte: Biblia Online.com.br

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

The Beginning...



GÊNESIS 3

Uma das passagens mais tristes em toda a Palavra de Deus... a queda do homem, sua separação do Deus santo que o criou e o amou. Então vem o anúncio daquilo que Deus iria graciosamente prover num futuro distante, para atender a necessidade do pecador caído e separado.

Gn 3:1-7 Encontramos a serpente pela primeira vez, apresentada sem qualquer palavra de explicação: Eva comete vários erros. (1) Ela não devia ter escutado a serpente quando esta lhe falou. (2) Ela não devia ter falado com a serpente. (3) Ela devia ter ficado perto de seu marido. (4) Ela começou a raciocinar... o fruto era (A) bom para comer; (B) agradável aos olhos, (C) capaz de fazê-la sábia. (5) Ela desobedeceu a Deus, pois comeu o fruto. (6) Ela o deu a seu marido para ele comer. Desde então Satanás tem tido sucesso em trocar a verdade de Deus pelo engano e mentiras. Ele levou a raça humana ao pecado, miséria, violência, corrupção e morte; e para o perdido, o lago de fogo para sempre! E ainda assim as pessoas culpam a Deus pela condição atual do mundo.

Gn 3:7-10 Imediatamente após haverem desobedecido a Deus (pois a desobediência a Deus é pecado) eles viram que estavam nus... eles tinha recebido uma consciência... uma má consciência, pois se esconderam de Deus. Uma má consciência sempre nos faz ter medo de Deus.

Gn 3:11:24 O resultado de um ato de desobediência. O pecado sempre separa de Deus (Is 59:2). O pecado sai caro! A condição do mundo hoje é o resultado de um pecado.

Gn 3:15 Isto aponta diretamente para Cristo na cruz, destruindo Satanás (Hb 2:14).

"Portanto, visto que os filhos são pessoas de carne e sangue, ele também participou dessa condição humana, para que, por sua morte, derrotasse aquele que tem o poder da morte, isto é, o diabo,"
Hebreus 2:14

Gn 3:21 Um animal deve morrer antes que as peles pudessem prover uma cobertura para Adão e Eva. Outra figura de Cristo como o Cordeiro de Deus, que morreu para nos limpar de nossos pecados e nos dar uma posição perfeita diante de Deus (Hb 10:14).

"porque, por meio de um único sacrifício, ele aperfeiçoou para sempre os que estão sendo santificados."
Hebreus 10:14

Gn 3:23-24 A espada de juízo (castigo) os manteve fora do jardim. Mas a espada de juízo caiu sobre o Senhor Jesus (Zc 13:7) e através da morte do bom Pastor (Jo 10:11) a porta para o céu, para o paraíso de Deus, está aberta.

"Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas."
João 10:11

Fonte: parte do texto de Norman Berry - 1911-2001 | http://www.stories.org.br/gn_p.html
Fonte: Biblia Online.com.br

Em cima do muro



Qualquer que seja a razão de irmos ou não a Jesus, ela será egoísta. Vamos a ele por estarmos doentes, necessitados ou perdidos, e o evitamos por medo de perder família, amigos ou posição na sociedade. É o caso deste capítulo 12, que diz que "muitos dos principais creram nele, mas não o confessavam por causa dos fariseus, para não serem expulsos da sinagoga. Porque amavam mais a glória dos homens do que a glória de Deus". Hoje diríamos que ficaram em cima do muro.

Em sua salvação não há nada de que você possa se gloriar. Ela vem de Deus, não de você. "Não vem das obras, para que ninguém se glorie; porque somos feitura sua [de Deus], criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas". Isso não agrada o ser humano, que adora ser bajulado pelos seus feitos. Para não perderem as regalias que têm em sua religião, alguns judeus aqui creem em Jesus, porém não o confessam como Senhor e Salvador.

Todavia, a Palavra de Deus é bem clara ao afirmar, na carta aos Romanos, que "se com a tua boca confessares ao Senhor Jesus, e em teu coração creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação" Rm 10:9-11.

Este capítulo fala dos que não confessavam publicamente sua fé em Jesus por medo de perderem sua posição no arraial da sociedade e religião. Você acha que isso mudou com a Igreja? Os cristãos são feitos da mesma carne que eles, portanto era de se esperar que dessem um jeitinho para que a fé do coração e a confissão da boca pudessem ser exercitadas, sem, contudo, perderem o gostinho da bajulação humana.

Por isso você encontra hoje muitos grupos de cristãos que criaram seus próprios meios de garantir um recheio para o ego. Primeiro, os dons como evangelista, pastor e mestre - que não são a mesma coisa que talentos como a habilidade de cantar, falar ou escrever - viraram títulos honoríficos como os que usamos para autoridades civis e militares.

Depois foram criados cargos eclesiásticos como diretor disso e presidente daquilo. Até mesmo títulos como "Reverendo", que a Bíblia só usa para Deus, passaram a ser usados por homens comuns e foram criados cursos de teologia que concedem títulos honrosos como "Doutor em Divindade". O ego adora essas coisas.

Não se engane: Jesus não teve qualquer honraria no arraial do judaísmo. Ele só experimentou desonra, vergonha e desprezo. Hoje existe igualmente uma espécie de "arraial da cristandade", e a admoestação de Hebreus 13 vale para nós também: "Saiamos até ele [Jesus], fora do arraial, suportando a desonra que ele suportou".

Fonte: texto de Mário Persona | Leitura: João 12:42-43 | Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=cLGuo-zFfCo

ONE


There is ONE body and ONE Spirit, just as you were called to ONE hope when you were called; ONE Lord, ONE faith, ONE baptism; ONE God and Father of all…
UM só corpo e UM só Espírito, como também fostes chamados em UMA só esperança da vossa vocação; UM só Senhor, UMA só fé, UM só batismo; UM só Deus e Pai de todos...
Efésios 4:4-6 
No capítulo 16 do evangelho de Mateus a Bíblia fala pela primeira vez da igreja. Igreja, na Bíblia, nunca é a uma denominação, organização religiosa ou edifício de tijolos. A palavra significa simplesmente reunião ou assembléia, portanto, um grupo de pessoas, não uma entidade jurídica.

A igreja é também um organismo vivo, o corpo de Cristo, no qual os membros necessitam uns dos outros e nenhum pode ser amputado. Aquele que é a cabeça do corpo não deixaria isso acontecer. A igreja aparece também como a noiva ou esposa de Cristo, uma união indissolúvel.

Na Bíblia NÃO existe "Igreja A" ou "Igreja B", e ninguém diz "eu sou A" e "e sou B". Responda rápido: de que igreja era o apóstolo Paulo? Viu? Só existe UMA igreja verdadeira, aquela que Cristo comprou com seu próprio sangue.

Pense no Exército Brasileiro. Só existe UM, mesmo que esteja representado em várias cidades. Na Bíblia você encontra a igreja em Éfeso, a igreja em Corinto etc. É a mesma igreja em diferentes cidades, como acontece com o Exército Brasileiro. Nunca se trata de outro exército, independente ou com outro nome. Assim deveria ser o testemunho da igreja também.

O exército brasileiro teve uma data de fundação, a única igreja genuína também. Ela foi fundada por volta do ano 30 e dela fazem parte todos os que verdadeiramente crêem em Jesus. Qualquer igreja fundada em outra data, ou que não inclua todos os salvos por Cristo, NÃO é a igreja da Bíblia, mesmo que tenha em suas fileiras cristãos genuínos. Ninguém se faz membro da igreja; é Jesus quem acrescenta cada membro ao seu corpo.

Não confunda igreja com cristandade. Cristandade é o conjunto de todos os que se dizem cristãos, genuínos ou não. Igreja é o subconjunto que inclui apenas os genuínos. Por enquanto é difícil saber quem é quem, pois o joio está misturado com o trigo.

A igreja NÃO tem um nome. Tentar dar diferentes nomes a diferentes grupos de cristãos é arruinar a UNIDADE que Jesus planejou. Tentar reunir essas diferentes organizações numa colcha de retalhos é somar o que Deus não mandou dividir. 

No céu NÃO há denominações e os salvos NÃO são identificados por diferentes nomes. Já ouviu a frase "seja feita a tua vontade assim na terra como no céu"? Pois é. Essa confusão de "igrejas" que você vê por aí NÃO tem origem na Bíblia. O inimigo não poupa esforços para arruinar os planos de Deus.

Fonte: texto de Mário Persona | Leitura: Mateus 16:13-20 | Vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=6D-w1wTQ2Cg
Fonte: Bíblia Online.com.br

Nota de falecimento

Há alguns dias acordei de madrugada com muita falta de ar. Preocupado fiquei sentado na cama testando meus pulmões, respirando profundame...