domingo, 24 de novembro de 2013

O Arrebatamento - Corpos transformados



Arrebatamento - Como os santos serão transformados no arrebatamento

Os corpos dos santos "arrebatados" para encontrar o Senhor nos ares passarão por uma tremenda mudança física. Não se trata de receberem novos corpos, mas corpos "transformados" (1 Co 15:51, 52; Fp 3:21; Jó 14:14). Seus corpos serão glorificados como aconteceu com o corpo do Senhor Jesus Cristo quando apareceu para Seus discípulos em ressurreição (Rm 8:17,28-30; Fp 3:21; Lc 24:39). [ver nota]

[Nota: Não conhecemos qualquer versículo bíblico que diga que os santos receberão novos corpos. Dizer que os santos receberiam corpos novos seria negar a ressurreição! Os mesmos corpos com que os santos viveram enquanto estavam na terra serão ressuscitados. Todavia, eles não são ressuscitados nas mesmas condições em que viveram antes de morrerem, mas serão ressuscitados incorruptíveis. Terão corpos glorificados. Os santos que estiverem vivos na terra por ocasião do arrebatamento também terão seus corpos transformados.]

Os santos arrebatados experimentarão, além de uma mudança física, uma permanente semelhança moral com Cristo. Essa obra moral nos santos, que é efetuada pelo trabalho silencioso do Espírito de Deus, já teve início enquanto ainda se encontram neste mundo, mas então ela se completará. (Rm 8:28-30; 2 Co 3:18). Todos eles serão fisicamente semelhantes a Cristo (Fp 3:21) e também moralmente (1 Jo 3:2) para todo o sempre.

A natureza pecadora arruinada será erradicada dos santos arrebatados. Eles nunca mais pecarão. (Hb 11:40; 12:23 - "aperfeiçoados" diz respeito à pessoa na sua totalidade: corpo, alma e espírito; Nm 24:20 - "Amaleque" tipifica a carne, a natureza caída e pecaminosa).

As crianças sem idade suficiente para serem consideradas responsáveis por seus pecados, cujos pais (ou mesmo um deles) são redimidos, subirão também para encontrar o Senhor nos ares. (1 Co 7:14 - "santos"). Os pais incrédulos e seus filhos serão deixados para trás para entrarem na tribulação. À medida que essas crianças forem crescendo durante a tribulação, elas terão oportunidade de ouvir e crer no Evangelho do Reino, o qual será pregado nessa época. [veja nota]

[Nota: O Evangelho do Reino não deve ser confundido com o Evangelho da graça de Deus (Atos 20:34), que os cristãos estão pregando hoje. O Evangelho da graça de Deus promete a justificação pela fé em Cristo e um lar com Ele eternamente no céu. O Evangelho do Reino declara as boas novas da vinda do Rei que irá estabelecer o Seu Reino na terra em poder. Aqueles que crerem no Evangelho do Reino e escaparem do martírio durante a tribulação, entrarão no reino para desfrutar de suas bênçãos na terra. Trata-se do mesmo evangelho pregado antes do dia de Pentecostes por João Batista (Mt 3:1-2), pelo Senhor Jesus Cristo, o Rei (Mt 4:17), e por Seus discípulos (Mt 10:7).]

Se alguma criança for morta durante os sete anos de tribulação, sua alma estará a salvo com Cristo no céu (Mt 18:10,11). De qualquer modo a morte seria para ela um ato de misericórdia, pois se fosse deixada para crescer e atingir a idade adulta separada da operação da graça de Deus, iria se tornar como seus pais incrédulos, rejeitando o evangelho e sendo levada a juízo. Ao contrário do que alguns pensam, o mundo não ficará esvaziado de crianças no arrebatamento. C. H. Brown costumava dizer que "Deus não assaltará o berço do incrédulo no arrebatamento". Deus deixa a família do incrédulo intacta. [veja nota]

[Nota: As figuras que encontramos no Antigo Testamento do juízo do mundo também indicam o mesmo. Ao contrário do que aconteceu com Noé e sua família, por ocasião do dilúvio, os filhos dos incrédulos não foram tirados do mundo antes que chegasse o dilúvio. Ao contrário do que aconteceu com Ló e sua família, os incrédulos e suas famílias não foram tirados de Sodoma e Gomorra antes que fogo e enxofre queimassem aquelas cidades.]

Traduzido de "Outline of Prophetic Events", por Bruce Anstey publicado por Christian Truth Publishing. Traduzido por Mario Persona.