segunda-feira, 15 de setembro de 2014

A hospedaria


Leitura: Lucas 10:30-37

Vimos que a parábola do “Bom Samaritano” é cheia de figuras. O homem que se afasta de Jerusalém, o lugar da presença de Deus, é o pecador. Enganado por seus sentidos ele segue para Jericó, que significa “perfume” e é sinônimo de maldição. Vítima de assaltantes, figura de Satanás, termina vazio e quase morto à beira do caminho. A religião, representada pelo sacerdote, passa indiferente. O levita, uma figura da lei, nada pode fazer por ele. Mas o samaritano, desprezado e odiado pelos judeus, se compadece dele e o salva. Jesus é o verdadeiro Samaritano.

A parábola traz ainda outras figuras que nos ajudam a compreender a sequência de eventos na salvação de um pecador. O homem ferido nada pode fazer por si mesmo, portanto é o samaritano quem “aproximou-se, enfaixou-lhe as feridas, derramando nelas vinho e óleo. Depois colocou-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e cuidou dele. No dia seguinte, deu dois denários ao hospedeiro e disse-lhe: ‘Cuide dele. Quando voltar lhe pagarei todas as despesas que você tiver’” (Lc 10:34-35).

Somente aquele que foi extremamente ferido pelo juízo de Deus pode tratar as feridas do pecador. O profeta Isaías escreveu que Jesus foi “castigado por Deus, por ele atingido e afligido... transpassado por causa das nossas transgressões, esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados” (Is 53:4-5). Portanto só Jesus pode curar as horríveis feridas causadas pelo pecado.

O vinho e o óleo nos falam, respectivamente, do sangue de Cristo e do Espírito Santo. O sangue de Jesus nos limpa de todo pecado e infunde uma nova alegria. O Salmo 104:15 fala do “vinho, que alegra o coração do homem”, e também do “azeite, que faz brilhar o rosto”. Repare que, depois de cuidar das feridas o samaritano coloca o homem “sobre o seu próprio animal”, o que é uma bela figura da posição em que somos colocados quando salvos por Cristo: o lugar que é dele. Efésios 1:6 diz que Deus nos fez “agradáveis a si no Amado”; ele nos enxerga em Cristo, o que não deixa qualquer dúvida quanto à aceitação do crente em Jesus.

Mas o cuidado do verdadeiro Samaritano não termina aí. Ele leva o homem a uma hospedaria e continua a cuidar dele. Precisando se ausentar, ele deixa com o hospedeiro “dois denários” para duas diárias, garantindo a continuidade do tratamento e o sustento do homem até a sua volta. A hospedaria é uma bela figura da assembleia, o lugar onde o Senhor nos mantém e cuida de nós até sua vinda. Ali, congregados ao seu nome, somos alimentados da Palavra de Deus e cuidados por meio dos diferentes dons que Cristo deu à igreja. Ali adoramos a Deus, recordamos o Senhor em sua morte nos símbolos do pão e do vinho e apresentamos nossas orações. Ali também desfrutamos da comunhão dos irmãos e da presença de Jesus, tão real quanto a que Maria irá desfrutar nos próximos 3 minutos.

A segunda vinda de Cristo


Leitura: Mateus 24:27-30

A segunda vinda de Cristo é visível em todo o mundo, ao contrário do arrebatamento secreto dos que creram em Jesus, que deve ocorrer cerca de 7 anos antes. "Assim como o relâmpago sai do Oriente e se mostra no Ocidente, assim será a vinda do Filho do Homem".

Quando Jesus veio da primeira vez como um humilde ser humano, ele foi rejeitado e entregue à morte. Sua segunda vinda não será assim. Ele não virá mais como o servo que se esvaziou a si mesmo, mas virá em glória e majestade. Quando ele morreu na cruz houve trevas por toda a terra e a terra tremeu. Quando ele voltar o sol voltará a se escurecer e todo o firmamento será abalado. Mateus fala de estrelas cadentes, e do sinal do Filho do Homem sendo visto por todos no céu.

Aí sim vai cair a ficha para muitos. Todas as nações do mundo se lamentarão quando virem o Filho do Homem vindo nas nuvens do céu com poder e grande glória. O profeta Zacarias revela os sentimentos de Jesus nessa hora: "Olharão para mim a quem traspassaram e lamentarão".

Você pode imaginar o que será ver retornar assim aquele de quem os homens achavam ter se livrado lá na cruz? É o mesmo Jesus que o povo escolheu para morrer em lugar de Barrabás, um ladrão e assassino, sem imaginar que ele estava realmente morrendo ali no lugar dos pecadores. É o mesmo em nome de quem foram realizadas cruzadas e guerras sangrentas. O mesmo em nome de quem foram assassinados milhões de verdadeiros cristãos. É o mesmo cujo nome é hoje explorado por mercadores de almas.

Sim, naquela hora ninguém terá dúvida. O desprezado carpinteiro agora surge como Rei de reis e Senhor de senhores. O condenado aflito, cujo rosto foi alvo de socos e cuspidas de seus algozes, desce agora com seu rosto brilhando como o sol. O humilde Cordeiro agora vem como Leão, não mais montado num jumentinho, mas tendo as nuvens como sua carruagem.

A vinda de Jesus será digna daquele que é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, homens e anjos. Todas as coisas foram criadas por ele e para ele, do átomo ao universo com suas incontáveis galáxias. Ele é antes de todas as coisas e nele tudo subsiste. Ele é o que mantém todas as coisas pela Palavra do seu poder, inclusive eu e você.

Se você ainda não creu em Jesus, a hora é agora. Os que não crerem antes do arrebatamento secreto da Igreja, passarão os 7 anos de tribulação acreditando piamente no Anticristo, e verão Jesus vindo dos céus, não mais como Salvador, mas como Juiz. Hoje a salvação é oferecida de graça. Depois? Não pague pra ver.

A grande tribulação

Leitura: Mateus 24:15-26

O discurso de Jesus continua realçando o caráter judaico de Mateus 24. No versículo 15 chegamos à profanação do Templo de Jerusalém, descrita pelo profeta Daniel. Quando os judeus fiéis, desse tempo que ainda é futuro, virem o sacrilégio cometido no lugar santo saberão que é chegada a hora. Para que isso aconteça é preciso que exista outra vez o Templo, portanto ele será reconstruído. A frase "quem lê, entenda" tem grande significado para os judeus fiéis que lerão o profeta Daniel e entenderão que é chegada a hora.

O capítulo continua mostrando que é dirigido a judeus. Além da referência ao Templo, que é destruído e reaparece profanado no versículo 15, Jesus fala de falsos profetas, pois foram profetas que levaram a Palavra de Deus a Israel. As advertências dos apóstolos feitas à Igreja é contra falsos mestres. Jesus fala também de falsos cristos que farão grandes milagres, e lembre-se de que "Cristo" significa "Messias". Sempre existiu gente por aí dizendo ser Jesus, querendo enganar os cristãos, mas quantos você encontra dizendo ser o Cristo, o Messias de Israel, tentando enganar os judeus?

As pessoas às quais a profecia é dirigida estão na Judeia, e são exortadas a fugirem para os montes e orarem para que a fuga não aconteça no sábado, que é o dia em que os judeus não podem viajar, ou no inverno, que obviamente só abrange um hemisfério. Jesus está falando de uma tribulação como nunca houve desde o princípio do mundo, portanto não pode ser associada a qualquer perseguição, holocausto ou guerra da história, pois esta precede a volta de Cristo, o que ainda não aconteceu.

O capítulo 2 da segunda carta aos Tessalonicenses diz que então será revelado o Anticristo, o mestre dos milagres, que se assentará no Templo de Jerusalém proclamando ser Deus. Diz também que Deus fará com que creiam na mentira e sigam o Anticristo todos os que ouviram o evangelho, e foram deixados para trás no arrebatamento da Igreja. Portanto, se você ouviu o evangelho da graça e ainda não tomou uma decisão, a hora é agora. Depois só será salvo quem nunca foi evangelizado antes.

O Anticristo só se manifestará depois que aquele que o detém, o Espírito Santo, for tirado da Terra. No capítulo 2 de Atos dos Apóstolos o Espírito Santo desceu ao mundo e passou a habitar individualmente em cada pessoa que crê em Jesus, e coletivamente na Igreja. Quando os crentes em Jesus forem tirados da Terra no arrebatamento, o Espírito, que é o penhor ou garantia da sua salvação, será tirado com eles. Quem for evangelizado depois disso e crer em Jesus terá o Espírito sobre si, como nos tempos do Antigo Testamento, mas não habitando em si, como acontece hoje.

Se você crê realmente em Jesus, você tem o Espírito Santo, pois a Bíblia diz que se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele. Você é de Jesus?

sábado, 13 de setembro de 2014

A tribulação

Leitura: Mateus 24:4-14

No capítulo 24 de Mateus Jesus explica aos judeus fiéis como serão os 7 anos da tribulação que precede sua vinda para reinar neste mundo. O princípio das dores, ou a primeira metade dos 7 anos, será caracterizado por muitos que afirmarão ser o Cristo, o Messias esperado, enganando muita gente. Jesus fala de guerras, fomes e terremotos como característica do início das dores.

Guerras, fomes e catástrofes naturais sempre ocorreram, portanto ele está falando aqui dessas coisas num grau nunca visto antes. Em seguida ele fala de seus discípulos, que serão perseguidos, mortos e odiados por todos. Apesar de vermos isso também na história da Igreja, ele está falando do que ocorrerá àqueles que se converterem durante os 7 anos de tribulação que ainda estão por vir, principalmente dentre os judeus.

Então vem uma frase que costuma ser mal interpretada por muitos cristãos: "Aquele que perseverar até o fim será salvo". Considerando que ele está se dirigindo a judeus, dentro do contexto do judaísmo, faça a seguinte pergunta: O que um discípulo judeu entenderia por "ser salvo"? Certamente não o mesmo que eu e você entendemos, vivendo hoje num contexto religioso e cultural do cristianismo, cuja esperança é celestial. A esperança do judeu no Antigo Testamento era terrena.

A ideia de ir para o céu era estranha a um judeu. Sua esperança estava no estabelecimento do reino do Messias nesta terra, na libertação de seus inimigos e na prosperidade material. Diante do cenário que Jesus estava descrevendo, para um judeu, ser salvo significava conseguir sair vivo daquela situação e poder participar do Reino. Portanto, Jesus está falando de uma salvação do corpo, de alguém que é livrado da morte. A perseverança aqui é para estar são e salvo na chegada do Rei Jesus e do seu Reino. Antes que isso aconteça Jesus diz que o evangelho do Reino será pregado em todo o mundo.

O evangelho do Reino não é o que é pregado hoje; era o que João Batista pregava e voltará a ser pregado depois do arrebatamento da Igreja. João Batista anunciava que o Messias e Rei havia chegado, algo do tipo "arrependam-se que o Reino de Deus é chegado". Se os judeus não tivessem rejeitado seu Messias da primeira vez, o Reino teria sido estabelecido neste mundo. Hoje entendemos que essa rejeição foi utilizada por Deus para formar a Igreja, um povo com privilégios ainda maiores do que aqueles dados a Israel.

O evangelho que é pregado hoje, no período da Igreja, é diferente do evangelho do Reino. O cristão não está esperando um Rei. Aliás, em nenhuma carta dos apóstolos você encontra que Jesus seja Rei dos cristãos. A estes é prometido que irão reinar sobre a Terra com Jesus, o Rei aguardado por Israel. O evangelho pregado hoje é o evangelho da graça de Deus, e ainda não alcançou todo o mundo como o evangelho do Reino alcançará. A mensagem não é mais "arrependam-se que o Reino de Deus é chegado", mas "creia no Senhor Jesus e você será salvo". Você já creu? Creia para não ser deixado para trás.

Fonte: texto de Mário Persona | http://www.3minutos.net/2009/01/98-tribulacao.html

(O parêntese)

Leitura: 1 Tessalonicenses 4:16-17

O apóstolo João diz no primeiro capítulo de seu evangelho que "a lei foi dada por Moisés; a graça e a verdade vieram por Jesus Cristo" (Jo 1:17). Ele revela assim um novo modo de Deus tratar com o homem, e dentro desse período vemos algo que não existia no Antigo Testamento e nem nos evangelhos: a igreja.

Jesus revelou em Mateus 16 que iria edificar a igreja em um tempo ainda futuro. Portanto a igreja não existia no tempo dos evangelhos, quando ainda vigorava o judaísmo. Se você fosse um discípulo de Jesus iria participar de todas as atividades, festas e costumes do judaísmo. Se fosse homem seria circuncidado, iria ao templo de Jerusalém, ofereceria sacrifícios de animais, daria o dízimo, não comeria carne de porco, não trabalharia no sábado etc. Você não seria cristão; você seria judeu.

Porém no capítulo 2 de Atos tudo muda: o Espírito Santo vem habitar na terra -- na igreja, coletivamente, e em cada crente individualmente. Se o Filho de Deus nunca tinha habitado na terra antes, o mesmo aconteceu com o Espírito Santo. Com a morte, ressurreição e ascensão de Jesus, o Consolador pôde descer conforme havia sido prometido para habitar na terra, algo inédito até então. Deus colocava de lado a nação de Israel para tratar com um povo novo: a igreja, formada por judeus e gentios convertidos a Cristo. No passado Deus reconhecia a existência de dois tipos de pessoas: judeus e gentios.  Agora ele reconhece três: judeus, gentios e igreja de Deus (1 Co 10:32).

O apóstolo Paulo, a quem foi confiado esse segredo que nenhum dos profetas do Antigo Testamento tinha previsto, também recebeu de Deus a revelação de que Israel seria deixado de lado por um tempo. É o parêntese, o período em que o relógio profético parou de bater até que termine o tempo da igreja na terra. Paulo fala disso aos romanos: "Irmãos, não quero que ignorem este mistério, para que não se tornem presunçosos: Israel experimentou um endurecimento em parte, até que chegasse a plenitude dos gentios" (Rm 11:25).

Quando o último membro for acrescentado ao corpo, que é a igreja, terá sido atingido a "plenitude dos gentios" e Cristo levará sua igreja para o céu. "Pois, dada a ordem, com a voz do arcanjo e o ressoar da trombeta de Deus, o próprio Senhor descerá do céu, e os mortos em Cristo ressuscitarão primeiro. Depois disso, os que estivermos vivos seremos arrebatados juntamente com eles nas nuvens, para o encontro com o Senhor nos ares. E assim estaremos com o Senhor para sempre" (1 Ts 4:16-17).

Bem-sucedido

Como é difícil levar as boas-novas para uma pessoa bem-sucedida. Como dar boas notícias, para uma pessoa que não tem má notícia? Como comp...