segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

A origem do câncer


No final de uma notícia na Internet sobre o terremoto do Haiti, um leitor deixou seu comentário: "Se Deus existe, então ele é incompetente". Você já reparou que sempre que algo dá errado tem gente que aponta o dedo para Deus? Os ateus são os que mais gostam de jogar a culpa no Deus que eles afirmam não existir.

Esta prática não é nem um pouco original. Adão foi o primeiro a culpar Deus, por ter lhe dado a mulher que o levaria a pecar. "Foi a mulher que me deste por companheira que me deu do fruto da árvore, e eu comi". Adão insinua que nada daquilo teria acontecido se Deus não tivesse criado sua esposa.

Você já culpou alguém por seus próprios erros? Isso mostra que você é tão pecador quanto Adão. Ah, você nunca erra? Bem, então seu caso é mais grave. Todo profissional de saúde conhece os cinco estágios pelos quais passa um paciente ao receber a notícia de que está com câncer.

Primeiro vem a negação: "Isto não está acontecendo comigo". Em seguida, a raiva: "Por que eu?". O passo seguinte é barganhar e tentar resolver o problema sozinho: "Se eu mudar de vida, o problema desaparece". Depois, a depressão: "Ai de mim! Estou perdido!". Finalmente vem a aceitação e a disposição para receber ajuda externa.

O pecado - primeiro dos anjos e depois do homem - é o câncer que arruinou não só a espécie humana, mas toda a criação. O apóstolo Paulo explica, em Romanos 8, que "a criação ficou sujeita à vaidade" e vive na expectativa "de ser liberta do cativeiro da corrupção" e "toda a criação juntamente geme e está com dores de parto até agora".

Tudo - absolutamente tudo - ficou arruinado: as criaturas, a terra, o universo, o tempo e o espaço. E quando a Bíblia fala que toda a criação está com dores de parto, entenda que a metáfora é bem precisa: as dores de parto tendem a aumentar e ocorrem a intervalos cada vez menores até a hora final. Sofrimentos cada vez maiores e mais frequentes devem ocupar as manchetes até Cristo voltar.

Neste capítulo 9 do evangelho de João, Jesus vê um homem cego de nascença e seus discípulos lhe perguntam: "Mestre, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego?" A resposta você verá nas próximas postagens.

Enquanto isso, que tal analisar em que estágio você se encontra? Você nega que é pecador? Sente raiva e culpa outros por seu pecado? Decidiu mudar de vida para resolver o problema. Caiu em depressão por não conseguir? Bem, quer um conselho? Vá logo para o último estágio e peça ajuda externa: recorra a Jesus para receber o perdão e a salvação.