segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

O selo de Roma e o selo do Espírito



Na sepultura de Jesus, os soldados romanos colocaram uma grande pedra na entrada do túmulo e a selaram “E, indo eles, seguraram o sepulcro com a guarda, selando a pedra.” (Mt 27.66). Os arqueólogos acreditam que havia duas fitas junto à entrada, coladas com cera endurecida, e que traziam a insígnia do governo romano – SPQR (Senatus Populusque Romanus) como se fosse um aviso dizendo: “Não se aproxime! O conteúdo desse túmulo pertence a Roma”. Esse selo, é claro, revelou-se inútil.

Já o selo do Espírito Santo, entretanto, mostrou-se poderoso. Quando cremos em Cristo, somos selados com o Espírito.

"Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa." (Efésios 1.13).

É como se o Espírito Santo dissesse “pertence a Deus”. E ninguém poderá remover esse selo.

"E dou-lhes a vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão." (João 10:28),

“Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as potestades, nem o presente, nem o porvir, Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.” (Romanos 8.38-39).

"Meu Pai, que mas deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão de meu Pai." (João 10:29).