quinta-feira, 1 de setembro de 2016

O Estado Intermediário dos Crentes - Bruce Anstey

Crentes no Senhor Jesus Cristo que morreram estão em glória?

Clichê (Sem Fundamento): “O irmão Fulano-de-Tal está na glória agora”.

Esta afirmação reflete um mal-entendido sobre os estados presente e futuro dos crentes que deixaram este mundo pela morte. As almas e os espíritos de todos os que morreram na fé estão agora com Cristo no céu, mas eles ainda não estão lá em um estado glorificado. Além disso, não seria correto dizer que eles estão "na glória".

Todos os que morreram na fé estão em um estado separado ou intermediário, ou “despido”(2Co.5:4). Suas almas e espíritos estão "com Cristo" no céu (Fp. 1:23). Sabemos que eles estão no "céu", porque é onde Cristo está (Lc.24:51; At.1:9-10;3:21;7:55; Fp.3:20; Hb.4:14.). Além disso, Paulo afirma que essas pessoas sem corpos estão no "paraíso", que ele correlaciona com o "céu" (2Co.12: 2-4). O Senhor declarou o mesmo estado para o ladrão (Lc.23:43). Ele também ensinou que as almas e os espíritos que deixaram os corpos de crianças que morreram antes da idade de entendimento, estão agora no "céu" (em Mt.18:10 - "seus anjos" é uma referência aos espíritos que deixaram os corpos delas; leia At.12:15). Os corpos de todas essas pessoas, no entanto, permanecem nos túmulos.

A confusão surge porque as pessoas usam expressões como: "em glória" e "na glória" para se referir ao céu. A versão King James da Escritura não ajuda nesse assunto, afirmando que Cristo foi "recebido na glória" em Sua ascensão, o que implica que a glória é um lugar no céu (1Tm.3:16). No entanto, é uma tradução equivocada. O versículo deveria dizer que Ele foi recebido "em glória", o que significa que Ele subiu ao céu em um estado glorificado. Assim, "glória" é uma condição, não um lugar. A expressão "na glória" não é usada na Escritura para indicar um lugar no céu. Nós portanto, não deveríamos usá-la dessa maneira, como um lugar no céu, porque confunde o atual estado dos fiéis que partiram, com o seu futuro estado de glorificação. As almas e espíritos dos crentes falecidos estão definitivamente no céu com o Senhor agora, mas eles ainda não estão em um estado glorificado. Seus corpos ainda estão na sepultura, e precisam ser ressuscitados. J.N.Darby disse: "O estado intermediário não é a glória (para isso precisamos esperar pelo corpo. Ele sobe em glória; O Senhor transformará nossos corpos, como o seu corpo glorificado.)" (Collected Writings, vol . 31 p.185).

Os mortos em Cristo (cristãos), e todos os santos do Antigo Testamento, estão em um estado separado (sem corpo), esperando para serem glorificados. Isso ocorrerá quando Cristo vier no Arrebatamento (1Co.15:51-57; Fp.3:20-21; Hb.11:40; 1Jo3:2). Os crentes que estiverem vivos na Terra estão "presentes no corpo" (2 Co.5:6), e também estão esperando para serem glorificados.

A transformação de ambos (os que partiram e os santos vivos) irá ocorrer ao mesmo tempo (quando o Senhor vier), e vai ser tão rápido como um "piscar de olhos" (1 Co.15:23; 53-55). A diferença é que aqueles que morreram na fé estão atualmente numa brilhante "sala de espera", por assim dizer, porque eles estão com Cristo em um pleno estado de gozo, que é "muito melhor" do que qualquer coisa que uma pessoa viva na Terra poderia experimentar (Fp.1:23). Por isso, os santos que morreram e passaram a estar com o Senhor não estão glorificados ainda, e, portanto, não seria correto dizer que eles estão "em glória". Há apenas um homem glorificado atualmente - O próprio Cristo (At.3:13; Fp.2: 9-11; 1Tm.3:16; 1Pe.1:21).

Se pararmos e considerarmos as ramificações desta idéia errada - e se analisadas até sua conclusão lógica - irá resultar na exclusão da necessidade da ressurreição! Como vimos, a Escritura ensina que os santos falecidos serão glorificados na primeira ressurreição (1 Cor.15:23, 51-57.) quando o Senhor vier (1Ts.4:15-18.). Mas, se eles já foram glorificados, qual é a necessidade da ressurreição?

Portanto, em vez de dizer que o irmão Fulano-de-Tal está "na glória agora," seria mais correto dizer que ele está com o Senhor no céu, em uma condição de gozo, o que é muito melhor.

Tradução: Kleber Barbosa | Revisão: Paulo Martins e Rosimeri Martins
Extraído do livro "UNSOUND DOCTRINAL STATEMENTS & CLICHÉS (Commonly Accepted as Truth)" Bruce Anstey - 2) The Intermediate State Of Believers - Tradução páginas 21 a 23.