sábado, 14 de fevereiro de 2015

Na trave


Leitura: Mateus 7:1-6

"Não julguem para vocês não serem julgados", disse Jesus. O que quer dizer? Que os juízes devem considerar inocente todo bandido ou que no próximo jogo não terá mais um homem de preto correndo no gramado? Não é bem assim.

Por outras passagens da Bíblia você descobre que Jesus condena julgarmos os motivos das pessoas, tirarmos conclusões por sua aparência, coisas assim.

Evidentemente há coisas que devemos sim julgar, como as coisas que as pessoas dizem ou fazem, especialmente quando o assunto é Deus. Para isso temos uma medida, a Bíblia, a Palavra de Deus.

Então o problema não está no julgamento, mas na trave que temos nos olhos, na incapacidade de enxergar o que é certo ou errado na hora de querer tirar o cisco do olho alheio.

Ninguém pode querer julgar qualquer coisa ou a si mesmo se não tiver ou padrão ou medida perfeita. Se você não apelar a Deus como o padrão e medida para seu discernimento das coisas e pessoas, acabará adotando o referencial mais conveniente: você mesmo.

E é aí que você começa a julgar os outros até como forma de terapia. Você sempre vai se sentir bem se encontrar alguém pior. Sabe como é, "eu bebo, mas não roubo", ou "eu roubo, mas não mato", e por aí vai.

Como o mundo é uma grande feira de vaidade e maldade, o que não falta é gente pior do que você para se comparar. Mas o que acontece se você se comparar com Deus? O que acontece se você se comparar a Jesus? Vai ser péssimo para o seu ego, pois estará diante da perfeição e do homem perfeito.

É por isso que Deus deixa muito claro na Bíblia que todas as pessoas são pecadoras, todas estão muito longe do padrão. Isso inclui eu e você. O que fazer? Melhorar? Bem, se você conseguir lavar carvão e enxugar gelo, pode ir tentando. Deus diz que não vai conseguir coisa alguma se não recomeçar a partir do zero, renascer, nascer de novo. Só que isso também não cabe a você.

Já viu algum recém-nascido se gabando do esforço que fez para nascer? Nem vai ver. Quem nasce não tem qualquer participação no trabalho de parto. O trabalho, a dor, o sangue, é tudo da mãe. Alguém sofreu e correu o risco de morrer para você nascer.

Para nascer de novo não é diferente. Jesus sofreu, morreu e derramou sangue para que você pudesse viver. Não uma mera vida natural, mas uma vida eterna.

Como receber isso? Oras, pedindo a Deus. Ele é bom, Ele quer perdoar, Ele quer salvar. Qual é o pai que se o seu filho pedir pão lhe dará uma pedra? Mas este é o assunto dos próximos 3 minutos, cujo tema é "A oração".